Coleção resgata histórias da cidade de São Paulo

"O de que padecemos não é falta de tempo, é falta de horas. No tempo de nossos avós, ou bisavós, ou leais paulistanos não conheceram essa crise de horas que neste momento tanto nos aflige." As linhas acima são, todas e completamente, tiradas de contexto de um autor que foi best seller em seu tempo. E que estava distante dos novos leitores: Afonso Schmidt. A crônica integra São Paulo de Meus Amores (256 págs., R$ 17), primeiro livro da Coleção São Paulo, que é lançada hoje pela Paz e Terra (o projeto conta com patrocínio do Santander-Banespa, por meio da Lei de Incentivo à Cultura). Na primeira leva, saem mais cinco títulos dedicados à cidade, entre crônicas e trabalhos historiográficos. A organização é da historiadora Paula Porta, uma das responsáveis pela edição, em 1998, do Guia dos Documentos Históricos da Cidade de São Paulo (Hucitec), um livro bastante útil a pesquisadores que estudam a vida da cidade. A figura do jornalista-cronista, por exemplo, teria praticamente desaparecido, na opinião da historiadora. Por conta disso, afirma, ela escolheu as crônicas de Schmidt para abrir a coleção. "É um livro para todos, um abre alas para as pessoas voltarem a olhar para a cidade." Leia mais Coleção São Paulo. A obra dirigida por Paula Porta é composta por seis livros. Editora Paz e Terra. Hoje, das 18 às 21 horas. Informações pelo tel. 3337-8399. Saguão do Edifício Altino Arantes/Sede do Banespa. Rua João Brícola, 24

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.