Coleção de Mareu traz muita referência

Muita referência e reflexão nem sempre são bons amigos da moda. E o desfile de Mareu Nitschke refletiu muito bem isso. No pega, estica e puxa de ?culturas distintas? ou ? dois mundos amarrados em um só planeta? ou buscando os efeitos das esculturas de Jacques Douchez, Mareu se embaraçou todo. Daí que as construções saíram embaraçadas também. Vestidos que têm saia plissada e bermuda. Fitas que se cruzam em t-shirts masculinos e corsets femininos. Calças cheias de tiras transpassadas. E um blazer com fechamento de placas de metal. Tudo muito programado, tudo muito arquitetado, tudo muito feio. Os sapatos e sandálias eram ingratos e as roupas superconstruídas pareciam dificultar os movimentos. No final, alguns bons vestidos pretos com brilhos sobre estampas gráficas. Mas um território já percorrido com maior desenvoltura por outros estilistas em temporadas passadas. Melhor economizar nas referências e investir na imaginação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.