Coleção da Animale não é para qualquer uma

Uma passarela de campos de trigo anunciava a primavera-verão da MARIA BONITA EXTRA, que trouxe, até o momento, a coleção mais consistente deste Fashion Rio (ao lado da Mara Mac, que veio, no entanto, clean e comportada). A mocinha da segunda marca da Maria Bonita (que é feita, digamos, para a mãe da moça) é uma pedrita contemporânea. A garota usa muita oncinha, mas não é uma onça qualquer. Ela é abusada na mistura de cores, pincela de pink as manchinhas marrons. Também joga preto com verde, e ataca de xadrez toalha de mesa (que lembra muito os xadrezes adorados por Alexandre Herchcovitch). A cintura é marcada por cintos e o comprimento sempre mini, na metade da coxa. O vestido é peça-chave, tudo curtinho, com movimento, alcinhas, bem charmosos. O shortinho vira saia-short, também curto, e a miscelânea de cores atinge o ápice na feliz combinação de verde flúor, preto e roxo. Nos pés, sandálias lindas de onças, tigres e outros bichos escalam os tornozelos, compondo um look jovial e renovado para o verão 2007. A primavera-verão apresentada pela grife ANIMALE, que tem Claudia Jatahy no comando do estilo, sugere um arriscado retorno da cintura alta, que apareceu (acreditem!) até no jeans. A estilista avisou no vídeo de apresentação que a moda que faz é para mulheres que não usam a roupa como escudo, muito ao contrário. Para segurar tanta manga esvoaçante, tanto botão dourado (até parece roupa de baliza) e tanto bordado, sem falar nas padronagens de zebras com florais, só mesmo tendo muita personalidade. A grife é para peruas assumidíssimas, e certas de suas curvas. As costas estão à mostra, as cinturas também. E as pernas, então? Os shorts são micro, bem curtinhos, e sobem até quase as costelas. Também é preciso ser uma Carol Trentini, uma Michelle Alves ou uma Gianne Albertoni para circular por aí à bordo dos vestidos esvoaçantes e com debruns e correntes douradas. Animale, meu bem, não é pra qualquer uma. Terceira grife a desfilar nesta quinta-feira, a etiqueta PERMANENTE apostou suas fichas em um verão em vermelho e branco. A cor provocante aparece em construções de xadrezes e listras, e assume a forma de blusas, shorts, saias e vestidos. Bom momento o do casaco curto de seda amassada com mangas bufantes. A modelagem prevê amplidão; nenhuma peça se ajusta ao corpo. É um verão comportado, para mulheres clássicas.Matéria alterada às 21h10

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.