Co-criador de 'Caverna do Dragão' morre aos 69 anos nos EUA

Com Dave Arneson, Gary Gygax ajudou a criar o jogo, em 1974, que virou febre no mundo e se tornou desenho

Associated Press,

04 de março de 2008 | 21h17

Ernest Gary Gygax, co-criador do jogo de RPG e fantasia Caverna do Dragão (Dungeons & Dragons) e que ajudou a iniciar um fenômeno neste tipo de jogo, morreu na manhã desta terça-feira, 4, em sua casa Wisconsin, nos Estados Unidos, aos 69 anos de idade. Ele vinha sofrendo com problemas de saúde há vários anos, incluindo um aneurisma abdominal, disse sua mulher, Gail Gygax.   Gygax e Dave Arneson desenvolveram Caverna do Dragão em 1974 usando personagens medievais e criaturas míticas. O jogo conhecido pela forma curiosa dos dados tornou-se um hit, sobretudo entre os adolescentes, e eventualmente foi transformado em games, livros, filmes e em desenho animado.   Gygax sempre desfrutou da audiência do jogo por parte da legião de fãs dedicados, muitos dos quais iriam parar em frente a casa da sua família em Geneva Lake, a cerca de 88 quilômetros a sudoeste de Milwaukee, contou sua mulher. Apesar do declínio em sua saúde, ele coordenou jogos semanais da Caverna do Dragão até janeiro, disse ela.   "Realmente significou muito para ele ouvir os comentários de pessoas ao longo dos anos, sobre a forma como ele os ajudou a se tornarem um médico, um advogado, um policial, o que ele lhes concedeu", falou Gail. "Ele realmente aproveitou isso", completou.   Os jogadores de Caverna do Dragão criam personagens fictícios e continuam suas aventuras com a ajuda de regras complicadas. A essência deste RPG gerou uma riqueza de jogos de imitação e mais tarde inspirou todo um gênero de jogos de computador que ainda está crescendo em popularidade.   Gary Gygax nasceu e viveu em Chicago até os 8 anos de idade, quando se mudou para Geneva Lake. O pai de Gygax, um imigrante suíço, que tocou violino na Orquestra Sinfônica de Chicago, lia livros de fantasia para seu único filho e lhe deixou viciado no gênero, informou Gail Gygax.   Gygax saiu da escola secundária (equivalente ao ensino médio no Brasil), mas teve aulas de antropologia na Universidade de Chicago por algum tempo, segundo a mulher. Ele estava trabalhando como um subscritor de seguro na década de 60, quando começou a jogar jogos de tabuleiro com temática de guerra.   Mas Gygax queria criar um jogo que envolvesse mais na fantasia. Para conseguir tempo para trabalhar nisso, ele deixou o negócio de seguros e se tornou um restaurador de sapatos, contou sua esposa.   Gygax também foi um escritor prolífico e escreveu dezenas de livros de fantasia, incluindo a série de romances de aventura Greyhawk.   Os arranjos do funeral de Gary Gygax ainda estão pendentes. Além de sua esposa, ele deixou seis filhos.

Tudo o que sabemos sobre:
Caverna do DragãoGary Gygaxmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.