Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

Clowns melancólicos

Uma polêmica atravessava o teatro italiano do século 18. De um lado, estava Carlo Goldoni, que tratava de ajustar a commedia dell'arte aos novos tempos. Na margem oposta, despontava Carlo Gozzi. Tido como purista, o autor insurgia-se contra as tais mudanças propostas por seu antagonista. Preferia as comédias de contos de fadas, com bruxas e feiticeiros. E foi justamente em uma dessas suas histórias que O Amor das Três Laranjas ou KD VOCÊ?, montagem que cumpre curtíssima temporada a partir desta quinta-feira, 10, no Itaú Cultural, encontrou seu argumento.

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2011 | 00h00

Na trama proposta por Gozzi acompanham-se as desventuras de um jovem príncipe, amaldiçoado por uma fada e condenado a sair vagando pelo mundo em busca de três laranjas.

Para compor o espetáculo que conduz à frente dos grupos Cia. Dramática e Absurda Confraria, a diretora Bete Dorgam partiu desse enredo. Valeu-se ainda da versão para a ópera que Sergei Prokofiev lançou nos primeiros anos do século 20. Mas optou por deixar de lado as tradicionais máscaras do gênero teatral italiano - como o Arlequim e a Colombina - e trouxe, em seu lugar, clowns.

Os clowns são a base do trabalho da diretora. Já apareciam com força em seus trabalhos anteriores: O Chá de Alice (2002) e KD EU? (2007). E agora ressurgem para conduzir uma investigação sobre a melancolia e a perda da capacidade de rir.

Longe de ser um simples palhaço, o clown é, por definição, um ser capaz de sentir dor, mas não de ter consciência sobre o próprio sofrimento. Por isso sua presença é tão oportuna nessa discussão, assegura a encenadora.

Ainda que tome a fábula de Gozzi como elemento provocador, o espetáculo lança-se em novos territórios. Coloca no palco intervenções audiovisuais operadas ao vivo por dois VJS e sai à procura das atuais causas de melancolia.

"É um tema que perpassa este momento que estamos vivendo", pontua Bete. "Hoje, sabemos o tempo todo de tudo o que acontece. Não temos mais como nos isolar das dores do mundo. Estamos sempre sendo afetados. Não existem mais questões individuais."

O Amor das Três Laranjas - Itaú Cultural (Av. Paulista, 149). De quinta (10) a domingo (13), quinta (17) a domingo (20), às 20h. Entrada franca, com ingressos distribuídos com meia hora de antecedência (no dia 20, excepcionalmente às 16h30). Informações: (11) 2168 1700

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.