Clooney é convocado como testemunha em caso sexual de Berlusconi

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, convidou o astro de Hollywood George Clooney para ser sua testemunha de defesa quando ele for a julgamento no mês que vem por uma acusação de ter feito sexo com uma prostitua menor de idade, revelaram documentos judiciais.

REUTERS

29 de março de 2011 | 16h40

Berlusconi é acusado de ter tido um relacionamento com a dançarina marroquina Karima el Mahroug, conhecida como Ruby, quando ela tinha 17 anos, abaixo da idade mínima considerada legal para a prostituição na Itália.

No julgamento, que começa em 6 de abril, os promotores acusam Berlusconi de ter feito sexo com um "número significativo" de prostitutas durante festas realizadas em sua casa de campo perto de Milão.

O premiê também é acusado de abusar de seu poder para libertar Ruby de uma prisão onde ela estava detida acusada de roubo.

Ruby disse a promotores durante a investigação que Clooney e sua mulher, a atriz italiana Elisabetta Canalis, estavam entre os convidados de uma das festas de Berlusconi. Elisabetta negou a afirmação.

Clooney e Elisabetta estão entre uma série de testemunhas ilustres convocadas para o julgamento, incluindo apresentadores de TV, atores, jornalistas e políticos.

Quatro ministros do governo, incluindo o chanceler Franco Frattini e a ministra de Oportunidades Iguais, Mara Carfagna, uma ex-modelo, também foram chamados.

Berlusconi nega ter feito qualquer pagamento por sexo e disse que suas festas eram jantares normais.

(Por Gavin Jones)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTECLOONEYBERLUSCONI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.