Clodovil pede desculpas a Marta. E faz novas críticas

Ele pediu desculpas, mas nem por isso deixou de fazer novas críticas. Houve até menção a um vestido que fizera de graça para a irmã da prefeita. Ao som de "Clair de Lune", de Debussy, o estilista Clodovil Hernandes pediu que Marta Suplicy perdoasse "as três ou quatro palavras erradas" que usou para descrevê-la em "A Casa é Sua", seu programa na Rede TV, na quarta-feira."A senhora me desculpe as três ou quatro palavras erradas que eu usei para a senhora (...). Por essas eu me redimo. ´Inútil´, ´cansada´, ´perua´, qualquer coisa que eu tenha usado para a pessoa, a senhora me perdoe (...). O resto, eu não retiro uma vírgula", disse, no programa desta quinta. Clodovil explicou que ficou "furioso" com o que fizeram ao cantor Agnaldo Timóteo - ele foi impedido pela Prefeitura de vender CDs na Praça da República, no centro de São Paulo.Antes de encerrar o assunto, disse que mandaria flores para a prefeita, que fez aniversário hoje. "Mandarei flores para a pessoa, Marta Smith de Vasconcelos, que é o sobrenome do seu pai. A senhora não é Suplicy (...). Ou a senhora se esquece que eu conheço a senhora desde adolescente? A senhora esquece do vestido que fiz para a sua irmã, de graça, para ir a Hollywood?"A Prefeitura informou que os advogados vão tomar as providências cabíveis contra o apresentador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.