Claudio Magris ganha Príncipe Astúrias de Letras

O escritor italiano Claudio Magris foi premiado hojecom o Príncipe Astúrias de Letras, na Espanha, por serconsiderado um dos maiores conhecedores da culturacentro-européia e um dos germanistas mais conhecidos do mundo. Magris superou autores mais famosos como o norte-americano Paul Auster, e o checo Milan Kundera.A obra de Magris transita entre a narrativa e o ensaio e gira emtorno das guerras e das mudanças de fronteiras. Para os jurados, sua obra representa "uma Europa diversa e sem fronteiras, solidária e disposta ao diálogo de culturas". Nascido em Trieste, em 1939, Magris iniciou sua carreira literária aos 24 anos com a publicação de seu ensaio "O Mito dos Habsburgos na Moderna Literatura Austríaca". Posteriormente foi professor de literatura alemã na universidade de Trieste.Entre suas obras mais conhecids estão Danúbio e Microcosmos, editados no Brasil pela Rocco e Um Outro Mar, pela Edições Asa. Danúbio é um relato de viagem desde as nascentes do rio até o Mar Negro, com abordagens dos aspectos culturais da região assim como da viagem interior do narrador. Microcosmos é um livro de contos e crônicas sobre sua cidade natal, Trieste, e regiões vizinhas sob uma perspectiva histórica, cultural, geográfica e filosófica.Entre os nomes que já ganharam o Premio de Letras Príncipe de Astúrias figuram a ensaísta norte-americana Susan Sontag, o dramaturgo Arthur Miller e o romancista e ensaísta peruano Mario Vargas Llosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.