Clássicos de Chaplin, Ford e Wilder

Ghost - Do Outro Lado da Vida

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2012 | 03h20

15H50 NA GLOBO

(Ghost). EUA, 1990. Direção de

Jerry Zucker, com Patrick Swayze, Demi Moore, Whoopi Goldberg,

Tony Goldwyn, Rick Aviles.

Mistura de fantasia, thriller e romance, celebra o amor de homem assassinado que volta, como espírito, para proteger a mulher. Duas cenas tornaram-se emblemáticas - aquela em que Whoopi 'desaparece' para que Demi e Swayze façam amor, evitando toda sugestão de lesbianismo, e a outra em que Demi faz a escultura, mexendo com o barro num clima de exaltado erotismo. Whoopi garante ao filme o 'alívio cômico', em interpretação premiada com o Oscar de coadjuvante. Outro Oscar foi para o roteiro original de Bruce Joel Rubin. Reprise, colorido, 127 min.

Blade 2 - O Caçador de

Vampiros

22H45 NO SBT

(Blade II). EUA, 2002. Direção de

Guillermo del Toro, com Wesley

Snipes, Kris Kristofferson, Norman Reedus, Leonor Varela, Ron Perlman.

No segundo filme da série, o caçador de vampiros enfrenta sugadores de sangue que evoluíram e não temem, mais a luz. Por conta disso, Wesley Snipes faz uma aliança com seu arqui-inimigo, única possibilidade de salvação da Terra. O diretor Del Toro capricha no visual, mas o filme, apesar dos méritos, ainda não é O Labirinto do Fauno (sua obra-prima). Reprise, colorido, 117 min.

Amos Oz - A Natureza dos

Sonhos

0 H NA CULTURA

(Amos Oz - The Nature of Dreams). Israel, 2009. Direção de Yonathan Zur; Masha Zur Glozman, doc.

Baseado no livro autobiográfico De Amor e Trevas, o documentário tenta dar conta da complexidade do escritor israelense como autor e pensador social. Também discute sua relação complicada com a Europa, fruto da rejeição sofrida por sua família, antes mesmo das perseguições nazistas. Reprise, colorido, 59 min.

TV Paga

Vinhas da Ira

14 H NO TCM

(Grapes of Wrath). EUA, 1941. Direção de John Ford, com Henry Fonda, Jane Darwell, John Carradine, Russell

Simpson, John Qualen.

A saga da família Joad, que atravessa os EUA, durante a depressão econômica, sonhando com melhores dias na Califórnia. A adaptação do romance de John Steinbeck é considerada um dos marcos da história de Hollywood. Jane Darwell ganhou o Oscar de coadjuvante e Ford, seu terceiro prêmio de direção da Academia, após O Delator e Como Era Verde o Meu Vale. Ele ainda receberia o quarto, um recorde, por Depois do Vendaval, nos anos 1950. Reprise, preto e branco, 129 min.

M. Verdoux

14H15 NO TELECINE CULT

(Monsieur Verdoux). EUA, 1947.

Direção e interpretação de Charles Chaplin, com Martha Raye, Isobel

Elsom, Marilyn Mash.

Após O Grande Ditador, Chaplin ficou anos gestando este filme que lhe permitiu ampliar seu comentário sobre a guerra. Ele próprio faz o personagem título, que seduz e mata viúvas ricas para ficar com seu dinheiro. Levado a julgamento, M. Verdoux se defende no tribunal - matar algumas pessoas é crime, matar milhões, na guerra, não só é aceito como favorece o heroísmo. O humor negro do autor desconcertou o público que se acostumara a amá-lo mais sentimental, com Carlitos. Hoje, é possível constar que Chaplin estava muito adiante de sua época - mas o filme, por sua voltagem crítica, contribuiu muito para os problemas que ele teve com o macarthismo, e que o levaram a se exilar. Reprise, preto e branco, 123 min.

O Desafio das Águias

16H15 NO TCM

(Where Eagles Dare). EUA, 1968. Direção de Brian G. Hutton, com Richard Burton, Clint Eastwood, Mary Ure,

Michael Hordern, Anton Diffring.

Aventura de guerra na vertente aberta por Robert Aldrich em Os Doze Condenados. Richard Burton e Clint Eastwood integram comando formado para libertar general norte-americano feito prisioneiro pelos nazistas. A corrida é contra o tempo, para impedir que, sob tortura, ele revele o que sabe sobre o dia D. Grande ação e clima de ambivalência - em quem confiar? Todo mundo parece ter vida dupla em cena. Reprise, colorido, 158 min.

Quanto Mais Quente Melhor

19H45 NO TELECINE CULT

(Some Like It Hot). EUA, 1958.

Direção de Billy Wilder, com Jack

Lemmon, Tony Curtis, Marilyn

Monroe, Joe E. Brown.

Considerada a melhor comédia norte-americana de todos os tempos - e, é claro, a obra-prima de Billy Wilder -, a história dos dois músicos que se disfarçam como mulheres e integram uma orquestra de senhoritas para fugir de gângsteres beneficia-se do elenco genial. A frase final de Joe E. Brown é antológica - "ninguém é perfeito". Mas o filme é. Reprise, preto e branco, 119 min.

Carandiru

1H45 NO CANAL BRASIL

Brasil, 2003. Direção de Hector

Babenco, com Luiz Carlos

Vasconcelos, Milton Gonçalves,

Ailton Graça, Maria Luiza Mendonça, Gero Camilo, Rodrigo Santoro,

Milhem Cortaz, Caio Blat, Rita

Cadillac, Lázaro Ramos.

Reconstituição do massacre no presídio paulista, com base no livro de Drauzio Varella, Estação Carandiru. A direção vigorosa

de Babenco cria grandes cenas, mas o conjunto é irregular. Reprise, colorido, 100 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.