Clássicos chineses no Brasil

MARIA FERNANDA RODRIGUES

MARIAF.RODRIGUES@GRUPOESTADO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2012 | 03h10

Com a participação de 14 países, o 4.º Congresso Ibero-americano de Institutos Confúcio realizado recentemente em São Paulo é mais uma prova de que a parceria entre o Brasil e a China, feita por meio do Instituto Confúcio na Unesp, para a divulgação da língua e a cultura chinesas está dando certo. Esse bom relacionamento, por sua vez, tem se refletido na edição, aqui, de livros clássicos de autores chineses, nas áreas de literatura e filosofia, e de obras brasileiras lá. No fim de 2011, a editora Unesp lançou Poesia Completa de Yu Xuanji. Em junho, Os Analectos, conjunto de aforismos de Confúcio. E vem mais pela frente. Ainda este ano, ela publica uma antologia de poemas da Dinastia Tang (618-907) traduzida do chinês pelo diplomata brasileiro Ricardo Portugal. Em 2013, edita um dos principais textos chineses - Clássico do Caminho e da Virtude, de Laozi, com comentários de Heshang Gong -, e Os Quatro Clássicos do Imperador Amarelo, textos de autoria indeterminada descobertos há cerca de quatro décadas e ainda inéditos em português. Já saiu na China Desafios Brasileiros na Era dos Gigantes, de Samuel Pinheiro Guimarães, e deve ser lançado em breve Formação do Império Americano, de Luiz Alberto Moniz Bandeira, traduzido por Shu Jianping, ex-conselheiro cultural da embaixada da China no Brasil.

TRADUÇÃO 2

Frankfurt pré-2013

A Fundação Biblioteca Nacional vai escalar sete autores para representar a literatura brasileira na Feira de Frankfurt em outubro. Entre eles estarão Cristóvão Tezza, presente na Alemanha com três obras, Michel Laub e Andréa Del Fuego, que estão sendo traduzidos agora. Luiz Ruffato, que já tem um tour agendado por lá para o lançamento de Eles Eram Muito Cavalos, também foi convocado e é um dos nomes cotados para pegar o bastão do país homenageado, que será passado pela Nova Zelândia ao Brasil no último dia da feira.

*

Pelo menos dez livros estão em tradução. Este mês, ficam prontos títulos de Ruffato, João Paulo Cuenca e Marcelo Ferroni - que engata ida à feira como editor da Alfaguara com o festival Berlinda, em Berlim. Adriana Lunardi chega antes - em 14 de agosto, ela fala no Centro Cultural Brasileiro de Frankfurt. LEITURA

Aceitam-se originais

A Novo Conceito aproveita a Bienal do Livro (9 a 19/8) para reposicionar seu selo juvenil. Antes chamado de Novo Conceito Jovem, ele ganha agora o nome de Novas Páginas e, além de concentrar as obras para esse público, investirá na apresentação de novos autores. Quem quiser arriscar pode deixar os originais em seu estande no Anhembi. A editora é habitué das listas de mais vendidos com romances estrangeiros.

HQ

Mania de colecionar

A carioca Bolha adquiriu os direitos de publicação de Wimbledon Green, do cartunista canadense Seth, autor também de Clyde Fans e It's a Good Life. Lançada originalmente em 2005, a graphic novel trata da obsessão de Green, um colecionar quadrinhos.

INTERNACIONAL

Olhar estrangeiro

O historiador escocês Neill Lochery prepara livro sobre a participação do Brasil na 2.ª Guerra Mundial. Ele pretende mostrar que o País se tornou uma nação moderna primeiro ao manipular as forças aliadas e, depois, ao se unir a elas. Entre os personagens de sua história, Roosevelt, Orson Welles, Walt Disney e Getúlio Vargas. Rio será publicado pela Basic Books, do grupo Perseus, e os direitos ainda não foram vendidos para cá. Em 2011, o autor publicou nos Estados Unidos e em Portugal Lisboa - A Guerra nas Sombras da Cidade da Luz (1939-1945).

EVENTO

Happening lítero-musical

Para o lançamento de seu romance Favelost, que sai pela Martins Fontes, Fausto Fawcett faz um show no Rio - com o grupo Robôs Efêmeros, na Boate Dois a Dois, em Copacabana, dia 11 de setembro - e dois em São Paulo - com o The Tríceps, na Estação Caneca, dia 21, e no Club Noir, dia 22. O repertório foi criado especialmente para o show e tem a ver com o livro que trata, entre outros assuntos, "da união de Rio e São Paulo numa mancha urbana, numa megacidade única". Serão nove músicas, fazendo alusão aos círculos do Inferno de Dante.

NATUREZA

Alcatrazes, 12 mil anos depois

Especializada em livros sobre meio ambiente, com um gosto especial por mares, rios e naufrágios, a Cultura Sub faz o pré-lançamento de Alcatrazes na Bienal. Com texto de pesquisadores e fotos de Cristian Dimitrius e Fernando Clark, a obra, nas livrarias em setembro, retrata a história do arquipélago de 12 mil anos que fica a 45 km de São Sebastião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.