Clássico humanista de Chaplin

Coração de Cavaleiro

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2012 | 03h26

15H50 NA GLOBO

(A Knight's Tale). EUA, 2001. Direção de Brian Helgeland, com Heath

Ledger, Mark Addy, Rufus Sewell.

Após seu mestre morrer subitamente, um valoroso escudeiro resolve substituí-lo em uma competição envolvendo combate com lanças. Para isso, ele passa a treinar exaustivamente e consegue convencer Chauncer, um escritor, a forjar uma árvore genealógica para si, que faria com que ele tivesse uma família de nobres e não traria dúvidas à sua participação no torneio. Filme de época com toques modernos criado pelo diretor e roteirista Helgeland, que dividiu o Oscar de roteiro com o diretor Curtis Hanson - por Los Angeles, Cidade Proibida. O trabalho dividiu a crítica, mas é uma boa diversão. Reprise, colorido, 132 min.

O Sol

22 H NA CULTURA

(Solnze). Rússia, 2005. Direção de Aleksandr Sokurov, com Issey Ogata, Robert Dawson, Kaori Momoi.

A Cultura volta a exibir, agora dublado, um dos grandes filmes do diretor russo que faz parte de uma tetralogia dedicada às figuras do poder - os dois primeiros filmes tratavam de Hitler (Moloch) e Lenin (Taurus); este O Sol mira o imperador Hirohito - o quarto longa, Fausto, ainda aguarda estreia nos cinemas do País. A trama de O Sol se concentra em um breve período, no fim da 2ª Guerra Mundial, em que Hirohito é pressionado pelas forças norte-americanas de ocupação para renunciar ao seu status divino. E, assim como fez antes, Sokurov apresenta Hirohito como uma figura patética, com reações despropositadas e infantis. Na verdade, um homem frágil diante da arrogância dos vencedores. Vale a pena ver. Reprise, colorido, 110 min.

Hackers - Ladrões de Vidas

22H30 NA REDETV!

(The Gene Generation). EUA, 2007. Direção de Pearry Reginald Teo, com Ling Bai, Alec Newman, Parry Shen, Faye Dunaway, Ethan Cohn.

Moça que pertence à uma nova geração de assassinos (aqueles com DNA de hackers) descobre que tem mais obstáculos dentro da própria família. Baseado nos quadrinhos criados pelo próprio diretor. Reprise, colorido, 96 min.

Do Luto à Luta

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2005. Direção de Evaldo

Mocarzel.

Documentário sobre o mundo dos portadores de síndrome de Down, que atinge cerca de 8 mil bebês a cada ano no Brasil. O longa é retratado a partir da ótica de um downiano, que tem uma visão muito peculiar, sensorial e engraçada. As dificuldades enfrentadas no cotidiano, o preconceito da sociedade e as suas potencialidades são reveladas no filme. Documentário sensível e corajoso. Reprise, colorido, 75 min.

Outro Conto da Nova Cinderela

22H45 NO SBT

(Another Cinderella Story). EUA, 2008. Direção de Damon Santostefano, com Selena Gomez, Andrew Seeley.

Órfã desde criança é adotada por uma decadente cantora pop, ganhando, assim, mais duas irmãs. Sua chance de mudar de vida surge quando um astro teen faz um concurso para escolher uma bailarina. Ela encanta o rapaz, mas ao perceber a chegada das malvadas irmãs, foge deixando seu mp4 como única pista para o novo príncipe tentar encontrá-la. Atualização do conto de fadas que pode agradar. Reprise, colorido, 91 min.

TV PAGA

Sociedade dos Poetas Mortos

14 H NO TELECINE CULT

(Dead Poets Society). EUA, 1989.

Direção de Peter Weir, com Robin

Williams, Robert Sean, Leonard Ethan Hawke, Josh Charles.

Em uma escola apenas de meninos, professor humanista incentiva seus alunos a descobrirem a poesia para não se tornarem autônomos. O filme fez um grande sucesso entre os jovens quando foi lançado, há mais de 20 anos, especialmente por popularizar uma expressão em latim que se tornou palavra de ordem para muita gente, carpe diem, aproveite seu dia. Resta saber se a força da história se mantém ou se, com o passar do tempo, tornou-se ingênua. Reprise, colorido, 128 min.

O Grande Ditador

19H50 NO TELECINE CULT

(The Great Dictator). EUA, 1940.

Direção e interpretação de Charles Chaplin, com Paulette Goddard.

Outra comédia clássica de Chaplin, desta vez sem o famoso personagem Carlitos. Ele faz barbeiro judeu e ditador nazista inspirado em Adolf Hitler - e conta a lenda que o próprio Führer se fazia projetar o filme às escondidas. Um filme recheado de cenas que se tornaram históricas, como a do ditador brincando com o globo terrestre, transformado em bola. E o final é emocionante, pois, após muito resistir ao cinema falado, Chaplin escreveu um emocionado discurso sobre paz entre os homens. Reprise, preto e branco, 124 min.

Christine - O Carro Assassino

22 H NO TCM

(Christine). EUA,1983. Direção de

John Carpenter, com Keith Gordon, John Stockwell.

Garoto complexado pela feiura compra um Cadillac vermelho 1957, mal conservado, mas com personalidade própria - o automóvel mata, atropela e arrebenta tudo e todos que se oponham ao seu proprietário. Carpenter já era consolidado como mestre de filmes B quando dirigiu este longa irregular, em que o início emocionante é prejudicado pelos exageros emocionais do fim. Reprise, colorido, 110 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.