Clássico de Hitchcock na TV paga

Um Príncipe em Minha Vida 2: O Casamento Real

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2010 | 00h00

15H50 NA GLOBO

(Prince & Me 2: The Royal Wedding). EUA, 2005. Direção de Catherine Cyran, com Luke Mably, Kam Heskin, Clemency Burton-Hill, Jonathan Firth, Jim Holt, Daniel Cerny.

No segundo filme da série, o príncipe e a plebeia estão de casamento marcado quando uma antiga lei do reino é invocada pela oposição à união. Se a noiva não for de linhagem, o herdeiro terá de abdicar ao trono. É agora? O filme não tem grandes credenciais nem de direção

nem elenco. Mas apenas vendo para conferir se vale a pena. Reprise, colorido, 96 min.

Amor em Chamas

22 H NA REDE BRASIL

(Hanover Street). Inglaterra, 1979. Direção de Peter Hyams, com Harrison Ford, Lesley-Anne Down.

Harrison Ford já havia feito o primeiro Guerra nas Estrelas (Star Wars), mas a série com Indiana Jones ainda estava por vir e ele não era um astro quando fez este drama romântico sobre piloto que se envolve com enfermeira casada, durante a 2ª Guerra. Quando tem de salvar um colega que caiu atrás das linhas inimigas, ele descobre que se trata do marido dela, e vacila. O objetivo declarado do diretor Hyams era fazer um daqueles filmes à moda antiga, como A Ponte de Waterloo, de Mervyn LeRoy, com Robert Taylor e Vivien Leigh. Ficou só na vontade, apesar do empenho de seus atores. Lesley-Anne Down é ótima, mas teve poucas boas chances em Hollywood. Reprise, colorido, 108 min.

Paranoia

22H05 NA GLOBO

(Disturbia). EUA, 2005. Direção de D.J. Caruso, com Shia LaBeouf, Sarah Roemer, Carrie-Anne Moss, David Morse, Aron Yoo, Jose Pablo Cantillo.

A morte do pai desestabiliza o comportamento de Shia LeBeouf e ele tem um surto na escola, o que o leva a ser confinado em casa. Como James Stewart no clássico Janela Indiscreta, sem ter o que fazer, ele começa a espirar os vizinhos e desconfia de que o cara da casa em frente é um assassino em série. Thriller sem grandes novidades, mas que cumpre o objetivo de manter o espectador ligado (e, eventualmente, fazê-lo sofrer alguns sustos). Reprise, colorido, 104 min.

Inesquecível

2H05 NA GLOBO

Brasil. 2007. Direção de Paulo Sergio de Almeida, com Murilo Benicio, Caco Ciocler, Guilhermina Guinle, Fernanda Machado, Gustavo Rodrigues.

Baseado num conto do escritor uruguaio Horacio Quiroga, o filme trata do triângulo formado por dois amigos que se envolvem com a mesma mulher. A trama adquire uma dimensão fantástica quando um dos amantes morre e sua alma assombra o filme que os outros dois fizeram. Produção caprichada, o filme não estourou nos cinemas, e não porque lhe faltem qualidades. Guilhermina Guinle é belíssima e Nat King Cole fornece o adequado clima romântico cantando Unforgettable. Reprise, colorido, 89 min.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre - As Montanhas de Thredbo, de Peter Andrikidis, com Craig Mclachlan, Tom Long, Anthony Hayes, Jodie Dry, Simon Burke e Joe Manning, baseado na história real de avalanche que soterrou 60 pessoas e só uma delas saiu com vida (Austrália, 2001, fone 0800-70-9011); e Solteira, Profissão Mãe, de Don Mcbrearty, com Gail O"Grady, Grant Show e Danielle Panabaker, sobre mulher que cria a filha sozinha, de forma autoritária e repressiva; quando arranja um namorado, a menina é quem sofre (EUA, 2003, fone 0800-70-9012).

TV PAGA

Psicose

18h05 no Telecine Cult

(Psycho). EUA, 1960. Direção de Alfred Hitchcock, com Anthony Perkins, Vera Miles, John Gavin, Janet Leigh, Martin Balsam.

O clássico que o mestre do suspense adaptou do pulp de Robert Bloch virou um dos filmes mais influentes de todos os tempos. A célebre sequência do assassinato de Marion Crane na ducha, com suas mais de 70 posições de câmera para 40 segundos de filme (apenas), revolucionou a montagem e exerceu larga influência na linguagem do cinema E DA TV. Na história, Marion foge com dinheiro da firma e vai parar no motel de Norman Bates, onde é assassinada. Seguem-se outras mortes. Ta-ta-tã, quem está matando? Hitchcock usou técnicas de TV. A trilha, as interpretações, tudo contribuiu para a estatura do filme. A referida cena da ducha teve muitas imitações, mas elas nunca chegaram aos pés do original. Reprise, colorido, 102 min.

Jantar às 8

23h50 no TCM

(Dinner at EIght). EUA, 1933. Direção de George Cukor, com Marie Dressler, John Barrymore, Wallave Beery, Jean Harlow, Lionel Barrymore.

Jantar vira ponto de encontro e tensão entre alpinistas sociais e gente muito rica, todos com segredos inconfessáveis. Um dos primeiros filmes de Cukor, recém-chegado a Hollywood, vindo do teatro. Jean Harlow era uma estrela de cinema. John e Lionel Barrymore integravam uma família de prestígio no teatro e cinema. É interessante conferir como o cineasta, há mais de 80 anos, encarava o desafio da interpretação para a mídia que, afinal de contas, ainda era nova. Reprise, preto e branco, 111 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.