Clarice Lispector é tema de novo livro, lançado na Bienal

Obra de Julio Lerner traz pesquisa sobre a vida da escritora e sua última entrevista para a televisão

Ubiratan Brasil,

18 de agosto de 2008 | 17h11

Perturbadora na escrita, Clarice Lispector deixou também um rastro de mistério nas escassas imagens em movimento que restaram. A mais impressionante foi realizada pelo jornalista Julio Lerner para a TV Cultura em fevereiro de 1977, dez meses antes da morte da escritora. Visivelmente indisposta e obrigando o jornalista a tirar leite de pedra, Clarice surpreende ao revelar algumas facetas de sua escrita. Tal figura despertou uma insaciável curiosidade em Lerner, que iniciou uma série de pesquisas sobre a autora e que culminou no livro Clarice Lispector, Essa Desconhecida... (144 páginas, R$ 36), uma das principais apostas da Via Lettera para a Bienal. O lançamento oficial, no entanto, ocorre nesta terça, na Livraria Cultura do shopping Villa-Lobos. Lá, às 19 horas, será exibida a famosa entrevista de Lerner com Clarice, que já está disponível em DVD. E, às 19h30, começa um debate com Paulo Caruso, Maria Tucci Carneiro e Yudith Rosenbaum, amigos do jornalista, que morreu no ano passado. O trio vai relembrar a infatigável pesquisa de Lerner, que entrevistou amigas da escritora, como Olga Borelli, Maria Bonomi e a própria Yudith, além de ter viajado até a Ucrânia, onde Clarice nasceu e viveu até os 2 anos, quando se mudou com a família para o Recife. Na tentativa de encontrar algumas respostas para o mistério que rodeia a escritora, Lerner se deparou com um mal vigente em muitas culturas: a destruição da memória ucraniana. Jornalista por excelência, ele deixou uma valiosa contribuição na luta incessante para desvendar a fabulosa teia de enigmas que ainda cobre a obra de Clarice Lispector.

Tudo o que sabemos sobre:
Clarice Lispectorbienal do livro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.