Ciudade mexicana imita Cow Parade com cão chihuahua

A cidade mexicana de Chihuahua resolveu imitar a famosa exposição de esculturas de vacas decoradas por artistas plásticos que é realizada nas principais cidades do mundo. Os cães da raça Chihuahua que teve este nome registrado pela primeira vez oficialmente em 1942, o México, vai inspirar a exposição."A idéia é a cidade marcar presença por meio de um ícone que seja representativo para ela, como é o caso do cachorro chihuahua", disse hoje à EFE o diretor do Instituto de Cultura do município deChihuahua, Jesús Avalos.As autoridades municipais encomendaram 33 estátuas do cão em fibra de vidro, em três posições diferentes, que serão decoradas pelos artistas, cada um à sua maneira.Esta semana serão selecionadas as propostas que finalmente sairão às ruas a partir de 98 esboços apresentados pelos artistas locais."As propostas contém elementos do folclore local, do artesanato e dos heróis locais e estatais, ou produzidos e reconhecidos no México como a raça Chihuahua", explicou Avalos.Os artistas devem entregar sua obra pronta em um prazo de 25Dias para que em 20 de agosto as esculturas possam ser dispostas em um espaço de 1.400 metros no centro da cidade.O único artista confirmado até o momento é o escultor mexicano Sebastián, originário do sul do Estado de Chihuahua, querealizará três esculturas. Cada artista receberá 8.000 pesos, cerca de 730 dólares por custos de materiais e depois as esculturas serão leiloadas com fundos destinados à entidade governamental Sistema de Desenvolvimento Integral da Família (DIF).Ao estilo da Cow Parade, espera-se que cada cão conte com uma empresa patrocinadora cujo nome será colocado em uma placa ao lado da obra. Até o momento 12 empresas já confirmaram sua participação, com 15.000 pesos cada uma (cerca de 1.370 dólares) para os custos dos artistas e de instalação.A Cow Parade começou na Suíça em 1998, com a exposição de vacas de fibra de vidro decoradas por artistas locais e que chegou ao México em outubro passado como a cidade de número 33 a receber a exposição com 250 esculturas espalhadas pela cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.