Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Cirque Du Soleil visita quadra da São Clemente

Canadenses, europeus, asiáticos e australianos foram à Cidade do Samba conhecer barracão da escola

Roberta Pennafort - O Estado de S.Paulo,

03 de janeiro de 2012 | 21h30

RIO - Despidos de suas fantasias habituais e longe do trapézio e das argolas aéreas, 32 integrantes do elenco do Cirque du Soleil evoluíram ontem entre paetês e plumas. Canadenses, europeus, asiáticos e australianos, eles foram à Cidade do Samba conhecer o barracão da São Clemente, escola que neste carnaval falará de grandes musicais brasileiros e de fora, e passaram pela tradicional provação a que se submete todo turista corajoso: "sambar" ao lado de mulatas.

Animados, dizendo-se encantados com a diversidade de cores e formas e com os números do carnaval (a São Clemente terá 5.000 integrantes e gastará R$ 7 milhões, segundo o "guia da excursão", o ex-carnavalesco da escola Milton Cunha), não se incomodaram com o "mico" autoimposto.

"É muito difícil!", penava o acrobata italiano Steve Bello, depois de uma demonstração de várias piruetas ao som da bateria da escola. Outros integrantes menos desinibidos demoraram a entrar no clima. No fim, livres de bolsas e mochilas, suados e sorridentes, estavam integrados, e se divertiam ao tentar equilibrar adereços de cabeça."Já vi demonstração de samba em boates, mas aqui é a raiz. É algo que todo mundo tem que fazer um dia", vibrava a russa Tatiana Pestseva. A loirinha estava tão animada que, estimulada por uma passista, emulava uma rebolada até o chão, se esforçando para vencer a rigidez dos Quadris.

O grupo está no Rio com o espetáculo "Varekai" até domingo, e conheceu rapidamente diferentes etapas da produção de fantasias. "A impressão que me dá é que no Rio todo mundo é feliz", simplificou, entre moldes de isopor, o espanhol Ramon Santos.

A visita não parou o barracão, onde estão em fase de montagem os carros alegóricos que fazem conexão entre musicais clássicos da Broadway (Hair, A Noviça Rebelde, O Fantasma da Ópera) e os da tradição brasileira, da Praça Tiradentes até a contundente Roda Viva e a carnavalesca Sassaricando.

O enredo da São Clemente se chama Uma Aventura Musical na Sapucaí, e faz referência à empresa Aventura Entretenimento, que produz musicais de sucesso e que o está desenvolvendo com a escola. O carnavalesco Fábio Ricardo trouxe a Estátua da Liberdade para o verão carioca: de biquíni e de bruços, a tocha transformada em casquinha de sorvete.

Tudo o que sabemos sobre:
Cirque Du SoleilSão Clemente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.