Circo Imperial Chinês traz números novos ao Brasil

Uma arte que parece desafiar a força da gravidade e há milênios vem encantando adultos e crianças - a acrobacia - pode ser vista, a partir desta quinta-feira, no palco do Credicard Hall, em São Paulo, na execução de alguns de seus mais legítimos representantes - os artistas do Circo Imperial Chinês.A trupe faz sua terceira turnê pelo País, desta vez trazendo novos números. São Paulo será a primeira cidade a apreciar o espetáculo, que será apresentado também no Rio de Janeiro e no Recife, em Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e Brasília.Desta vez a turnê da Trupe Acrobática de Shenyang, o Circo Imperial Chinês, celebra os 190 anos da imigração chinesa ao Brasil. A acrobacia é uma arte chinesa com mais de 2 mil anos de tradição, mantida sob rígida disciplina pelos 50 integrantes da trupe - entre bailarinos, acrobatas e contorcionistas - cujo treinamento começa aos 5 anos.Nessa arte são eles os "craques". Mas a "concentração" é bem mais rígida do que a exigida dos "craques da seleção brasileira". Os garotos escolhidos para integrar a trupe passam a viver no circo, que é mantido pelo governo chinês, onde treinam em tempo integral. São dez horas diárias de treinamento, sem contar as aulas ?normais? de matemática e gramática nas horas livres. Visita aos pais, só uma vez por ano. O resultado é uma técnica impecável e a criação de números cuja beleza plástica vem deslumbrando platéias no mundo inteiro.Uma das características do Circo Imperial é mesclar tradição e inovação. A trupe é conhecida desde a dinastia Han (221a.C./220 d.C.), mas a inspiração para os novos números pode vir tanto de uma história milenar chinesa como de um show visto num cassino em Las Vegas durante uma turnê.Desta vez, a trupe traz ao Brasil 16 números, três deles inéditos no Brasil. Entre os tradicionais, High Chairs, número de equilíbrio sobre cadeiras, que valeu a Zhang Gong Li a Medalha de Ouro no Festival de Circo de Paris de 2001. Sobre uma ?torre? de cadeiras de 10 metros de altura, Zhang faz seu número de equilíbrio.Pirâmides humanas, acrobacias com bandeiras, malabarismos com tigelas d´água, saltos dentro de argolas giratórias e números de trapézio estão entre as atrações desta turnê. Quem lembra daquele brinquedinho, o ioiô? Mesmo quem já se sentiu "fera" na manipulação do ioiô corre o risco de sentir-se humilhado. Afinal, o brinquedo é o astro de um dos novos números da trupe, que promete mostrar "inúmeras" maneiras de jogar ioiô chinês. Os outros dois números inéditos são Chapéu de Palha e A Sereia. Neste último, uma acrobata "capturada" por uma rede tenta se soltar.Serviço - Circo Imperial da China. Quinta, às 21h30; sexta, às 22 horas; sábado, às 16 e às 22 horas; e domingo, às 15 horas e às 20h30. De R$ 10,00 a R$ 40,00 (estudantes); e R$ 20,00 a R$ 80,00. Credicard Hall. Avenida das Nações Unidas, 17.955, tel. 5643-2500 ou 6846-6000. Até 16/6. Patrocínio: Volkswagen Golf

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.