'Ciranda de Pedra' vai evitar temas polêmicos

Nada de eutanásia, suicídio, gays ... Ciranda de Pedra, novela das 6 da Globo, que estréia no dia 5, eliminou do seu texto original todo e qualquer assunto polêmico que possa comprometer a emissora com a classificação indicativa, e a audiência, claro. Baseada na obra homônima de Lygia Fagundes Telles, Ciranda de Pedra, de Alcides Nogueira, teve muitos dos destinos de seus personagens modificados para que pudesse ir ao ar. A personagem de Ana Paula Arósio (Laura), por exemplo, no original morreria de eutanásia praticada pelo médico Daniel (Marcello Antony). Se Laura morrer na trama (o que não é certeza ainda), será de tristeza. Já Antony, que no livro pratica suicídio, não irá morrer na novela.A personagem Letícia, de Paola Oliveira, lésbica na obra original, será heterossexual na trama. Outro que perdeu a polêmica é Conrado (Max Fercondini). O personagem não será impotente sexual, como previsto.Segundo Alcides Nogueira, as mudanças foram necessárias para deixar o folhetim ''mais leve'' e ''adequado ao horário''. O autor conta que conversou muito com Lygia Fagundes Telles antes de fazer as alterações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.