Cinema paulista é destaque no Canal Brasil

Feliz aniversário, São Paulo! Os 450 anos da maior metrópole brasileira ganham destaque especial na programação de TV. A partir de amanhã, a Globo mostra a minissérie Um Só Coração, de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira, com Ana Paula Arósio no papel de Yolanda Penteado. E a partir de hoje, o Canal Brasil, da TV paga, também inicia uma programação especial destinada a homenagear São Paulo. Durante todo o mês, o canal vai exibir maratonas diárias destacando o cinema de São Paulo. Curtas, longas e programas especiais vão destacar as personalidades que marcaram o cinema paulista. E, por meio dos filmes, será possível acompanhar o crescimento de São Paulo - a cidade que Roberto Santos filmou nos anos 1950 em O Grande Momento viveu o surto da industrialização flagrado por Luiz Sérgio Person em São Paulo S.A., de 1965, e chegou ao espaço urbano (e dramático) de Cronicamente Inviável, de Sérgio Bianchi, que expressa as contradições e desigualdades sociais do Brasil de hoje.Para iniciar essa programação tão variada e interessante - como expressão do cosmopolitismo de São Paulo -, o Canal Brasil põe hoje no ar o especial São Paulo no Cinema, que começa com o registro dos primeiros longas produzidos na cidade, passa pela fundação da Vera Cruz, que pretendeu instituir um modelo industrial, nos anos 1940 e 50, relembra o Cinema Marginal e as pornochanchadas, dos anos 1960 e 70, e culmina com a diversidade do momento atual. O especial não entra nesta seara, mas seria interessante discutir também as novas propostas do Governo do Estado e da Prefeitura, que deflagraram no ano passado importantes programas de incentivo à produção. O fomento tem de passar, obrigatoriamente, pelos setores da distribuição e da exibição, que compõem o nó górdio que ainda estrangula o cinema nacional.Outros especiais, da série Retratos Brasileiros, vão homenagear figuras de importância histórica indiscutível, como Jean-Claude Bernardet, Carlos Reichenbach, Luiz Sérgio Person, José Mojica Marins, Abílio Pereira de Almeida e César Charlone. O primeiro longa integra há tempos a programação do canal, mas a exibição de Perfume de Gardênia, de Guilherme de Almeida Prado, com Christiane Torloni, hoje às 21 horas, ganha um significado especial. Nos próximos dias, o erotismo de Walter Hugo Khouri em Noite Vazia, o olhar marginal de Rogério Sganzerla em O Bandido da Luz Vermelha, a sátira de Andréa Tonacci em Bang-Bang, a pós-modernidade de Chico Botelho em Cidade Oculta, a de Wilson Barros em Anjos da Noite e o testemunho de geração de Carlos Reichenbach em Alma Corsária vão mostrar a rica diversidade da experiência cultural do cinema paulista.Sampa 450 Anos - Hoje, às 21 horas, Perfume de Gardênia. Logo após, À Marge da Imagem e, às 23h30, São Paulo no Cinema. Canal Brasil.

Agencia Estado,

05 de janeiro de 2004 | 12h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.