CINEMA E TEATRO COMPLETAM O FESTIVAL

Além de blues malinês, o festival francófono também traz pot-pourris de cinema, teatro e fotografia. Entre estes se destaca a programação de filmes que estarão em cartaz a partir de quinta-feira da semana que vem, em três locais da capital paulista.

O Estado de S.Paulo

14 de março de 2013 | 04h31

Na Cinemateca, o festival homenageia o cineasta Raymond Depardon, documentarista e fotógrafo em atividade desde os anos 1960, com seus filmes 1974, Um Presidente em Campanha, Presos em Flagrante e Instantes em Audiência, que observa o processo diário de justiça em uma corte parisiense. A programação traz também clássicos do cinema francês, como A Bela e a Fera, de Jean Cocteau, French CanCan, de Jean Renoir, e O Dinheiro, de Robert Bresson.

No domingo, dia 24, o Reserva Cultural exibe uma sessão de café da manhã, às 9h30, do filme Propriedade Privada, de Joachim Lafosse, estrelado por Isabelle Hupert. O filme, de 2006, retrata os efeitos de um divórcio no casal e nos filhos.

No Cinesesc, a programação reúne filmes recentes em língua francesa. Entre os escolhidos estão; Perder a Razão, também dirigido por Joachim Lafosse, Operação Liberdade, de Nicolas Wadimoff, Na Ponta dos Pés, de Oliver Ringer, e Tudo o Que Você Tem, de Bernard Emond.

O festival ainda realiza uma mostra de fotografia com ensaios dos ganhadores do Prêmio Pierre Verger, entre eles, Milena Argenta, Cristiano Monteiro, Carlos Sautchuk, Wanderlucia da Silva Ponte.

A mostra começa em 19 de março, 19 h, na Galeria Imago - Aliança Francesa, onde haverá a conferência Antropologia e Fotografia: Ver e Entender, com o professor de fotografia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e coordenador da pós-graduação em fotografia e imagem da Universidade Cândido Mendes Johannes Andreas Valentin.

A programação teatral inclui uma encenação de mitologia grega em francês, com Jocasta. O mito da mãe que se casa com o próprio filho em Édipo Rei vai ser encenado em monólogo e interpretado pela atriz canadense Julie Vincent. A adaptação é da dramaturga uruguaia Mariana Percovich, com tradução de Guy Lavigerie e direção de Julie Vincent e Yves Dagenais. A peça será apresentada nos dias 22 e 23 de março no Teatro Aliança Francesa, em São Paulo; no dia 26 de março no Sesc Campinas, e será narrada em francês com legendas em português. / R.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.