Cineastas revelam aspectos de SP em 'Mundo Invisível'

No ano passado, foi apresentado apenas um work in progress de "Mundo Invisível", coletânea de curtas rodados por cineastas (nacionais e estrangeiros) que revelavam aspectos de São Paulo que passam despercebidos pela maioria das pessoas. Mesmo assim, foi uma sessão marcada pela emoção, pois o idealizador da Mostra de Cinema de São Paulo, Leon Cakoff, então recém-falecido, surgiu na tela como ator em dois dos dez episódios.

AE, Agência Estado

29 Outubro 2012 | 10h48

A emoção deverá se repetir nesta segunda, quando "Mundo Invisível" será finalmente exibido como um produto acabado - ganhou, inclusive, mais um curta, "Kreuko", de Beto Brant e Cisco Vasques, inédito até então. Como acontece em filmes com histórias dirigidas por várias mãos, predomina a irregularidade. Mas é a partir dessa pluralidade que surge sua força maior.

Além de Brant, o filme tem episódios dirigidos por Manoel de Oliveira, Jerzy Stuhr, Guy Maddin, Gian Vittorio Baldi, Marco Bechis, Wim Wenders, Maria de Medeiros, Theo Angelopoulos, Atom Egoyan e Laís Bodanzky.

Em "Do Visível ao Invisível", de Oliveira, Leon Cakoff se encontra com o amigo Ricardo Trêpa (neto do diretor), na Avenida Paulista. Eles tentam conversar, mas a cada instante são interrompidos pelo celular um do outro, que insiste em tocar. Finalmente, decidem conversar por telefone para enfim se comunicar. Fino observador, Oliveira mostra que, na era das comunicações, o homem não consegue mais dialogar da forma mais simples.

Cakoff retorna no mais complexo e certamente mais particular para ele dos episódios: "Yerevan - O Visível", dirigido por Atom Egoyan. Trata-se da história de um homem que vai a Yerevan, capital da Armênia, para resgatar a trajetória de seu avô desaparecido. Ele se posiciona praça principal com um cartaz e uma série de fotos, na esperança de alguém reconhecer o avô.

A narração, em off, é do próprio Cakoff que, como Egoyan, é de origem armênia. Exercício de memória, no qual indivíduo e história se mesclam em depoimento comovente, o episódio traz um dos mais belos testamentos deixados pelo criador da Mostra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

MUNDO INVISÍVEL

Cinemateca - segunda, 21h

Reserva Cultural - 3ª, 17h30

MIS - 4ª, 14 h

Itaú Frei Caneca - 5ª, 22h25

Mais conteúdo sobre:
cinema Mostra de SP Mundo Invisível

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.