Cineasta tcheco Otakar Vavra morre aos 100 anos

O diretor tcheco Otakar Vavra, inspirador e professor da mais bem-sucedida geração de cineastas tchecos, morreu na quinta-feira, aos 100 anos.

REUTERS

16 de setembro de 2011 | 10h35

Ele ganhou proeminência ainda antes da Segunda Guerra Mundial, e na década de 1960 ajudou a criar a chamada Nova Onda do cinema tchecoslovaco. Lecionou na influente escola de cinema Famu, em Praga, onde se formaram os premiados Milos Forman e Jiri Menzel.

"Ele foi uma das pessoas mais significativas na história do cinema tcheco, e o professor da mais importante geração do cinema tcheco", disse à Reuters Pavel Jech, diretor da Famu.

Enquanto Forman e Menzel partiram para uma carreira internacional, sendo ambos premiados com o Oscar, os filmes de Vavra tinham um apelo mais local. Sua obra mais conhecida foi "Zlatá reneta" (1965), que recebeu o prêmio principal do Festival de San Sebastián, na Espanha.

Embora fosse respeitado por seu trabalho, Vavra também sofreu críticas por colaborar com o regime comunista tcheco e fazer vários filmes de propaganda nas décadas de 1950 e 70.

(Reportagem de Roman Gazdik)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEVAVRAMORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.