Cineasta Michelangelo Antonioni morre na Itália aos 94 anos

Em carreira de seis décadas, autor lançou clássicos como 'Blow-up - Depois Daquele Beijo' e 'A Aventura'

Agências internacionais,

07 Julho 2031 | 06h33

Michelangelo Antonioni, um dos cineastas mais famosos e influentes da Itália, morreu aos 94 anos, informaram nesta terça-feira, 31, autoridades municipais de Roma. As causas não foram divulgadas, mas segundo declaração da esposa do diretor, a atriz Enrica Fico, ao jornal La Repubblica, ele morreu tranqüilamente em sua casa, em Ferrara, na noite de segunda-feira.   Veja também: Galeria de fotos Trecho de 'Michelangelo Antonioni', de Caetano Veloso Trailer de Blow-up - Depois Daquele Beijo Blog do Zanin: Morreu Antonioni 'Cinema sente-se órfão', diz presidente do Festival de Cannes Morre o cineasta sueco Ingmar Bergman         Considerado o pai cinematográfico da alienação e angústia modernas, Antonioni teve uma carreira de seis décadas, que incluiu clássicos como Blow-up - Depois Daquele Beijo e A Aventura.   "Com Antonioni, não se perdeu somente um dos maiores diretores vivos, mas também um mestre da tela moderna", afirmou o prefeito de Roma, Walter Veltroni. Antonioni morreu no mesmo dia em o cinema perdeu o lendário diretor sueco Ingmar Bergman, aos 89 anos.   Os filmes deliberadamente lentos e oblíquos de Antonioni nem sempre agradavam ao público, mas obras como A Aventura tornaram-no um ícone entre diretores como o norte-americano Martin Scorsese, que o descrevia como um poeta com uma câmera.   Início da carreira   Antonioni nasceu em 29 de setembro de 1912 na cidade de Ferrara, no norte da Itália. Ele começou a carreira de cineasta como crítico, criticando ferozmente as comédias italianas da década de 30.  Na década de 40, cursou a Escola Nacional de Cinema da Itália e se tornou roteirista, colaborando com diretores como Roberto Rossellini e Enrico Fulchignoni.   Na região onde nasceu,  realizou seu primeiro documentário, A Gente do Pó, finalizado em 1947. Após a 2.ª Guerra Mundial, trabalhou como roteirista em Trágica Perseguição, de Giuseppe de Santis (1946) e em Abismo de um Sonho, de Fellini (1952). O primeiro filme de Antonioni foi Crimes da Alma (Cronaca di un Amore), em 1950, mas o reconhecimento internacional viria em 1960, com A Aventura, que ganhou o Prêmio da Crítica do Festival de Cannes.   Depois de A Aventura vieram O Eclipse (1962) que, entre outras coisas, estreitou sua ligação, pessoal e profissional, com a atriz Mônica Vitti, sua musa. O Deserto Vermelho, de 1964, também com Mônica como protagonista, marca a passagem do diretor para os filmes em cores.   Reconhecimento   Com Blow-up - Depois Daquele Beijo (1966), seu primeiro filme em inglês, foi indicado ao Oscar de melhor diretor. Mas só recebeu a estatueta em 1995, em um prêmio por toda a sua carreira. Falado em inglês e ambientado na agitada Londres dos anos 1960, o filme transformou-o em figura "cult" para cinéfilos e cineastas.   Em seguida vieram O Dilema de Uma Vida (1964) e Zabriskie Point, filmado nos Estados Unidos em 1970 e que mostra o movimento de contracultura no país. Outra de suas obras foi realizada em parceria com o alemão Wim Wenders, Além das Nuvens (1995). O filme se baseia em um livro do cineasta italiano.   Em 1983, o diretor sofreu um acidente vascular cerebral que o fez perder a fala. Seu corpo será velado nesta terça-feira e, depois, levado para Ferrara,  sua cidade natal, onde na quinta-feira ocorrerá o enterro.   Confira sua filmografia:   2004 - Eros (Eros) 2004 - Lo Sguardo di Michelangelo 2001 - Il Filo Pericoloso Delle Cose 1995 - Além das Nuvens (Al Di là Delle Nuvole) 1993 - Noto, Mandorli, Vulcano, Stromboli, Carnevale 1989 - 12 Registri Per 12 Città 1989 - Kumbha Mela 1982 - Identificação de Uma Mulher (Identificazione Di una Donna) 1981 - O Mistério de Oberwald (Il Mistero di Oberwald) 1975 - Passageiro - Profissão: Repórter (Professione: Reporter) 1972 - China (Chung Kuo - Cina) 1970 - Zabriskie Point (Zabriskie Point) 1966 - Blow-up - Depois Daquele Beijo (Blow-up) 1965 - As Três Faces de Uma Mulher (I Tre Volti) 1964 - Deserto Vermelho (Il Deserto Rosso) 1962 - O Eclipse (L'eclisse) 1961 - A Noite (La Notte) 1960 - A Aventura (L'avventura) 1957 - Il Grido 1955 - As Amigas (Le Amiche) 1953 - Amores na Cidade (L'amore in Città) 1953 - Os Vencidos (I Vinti) 1953 - A Dama Sem Camélias (La Signora Senza Camelie) 1950 - La Funivia del Faloria 1950 - La Villa Dei Mostri 1950 - Crimes D'alma (Cronaca Di Un Amore) 1949 - L'amorosa Menzogna 1949 - Bomarzo 1949 - Regazze in Bianco 1949 - Sette Canne, Un Vestito 1949 - Superstizione 1948 - Nettezza Urbana 1948 - Oltre L'oblio 1948 - Roma-Montevideo 1943 - Gente del Po

Mais conteúdo sobre:
Antonioni morte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.