Reprodução
Reprodução

Cine Olido dedica mostra a Bill Murray, o ator que não teme o ridículo

Ator poderá ser visto a partir desta sexta em 15 produções, como 'Os Caça-Fantasmas' e 'Encontros e Desencontros'

Ramon Vitral, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2012 | 03h00

Bill Murray nunca ganhou um Oscar. Nem um Globo de Ouro. Já concorreu a um Saturn Award da Academia de Filmes de Ficção Científica, Fantasia e Horror por Feitiço do Tempo (1993) - e também não levou. Mas prêmios não são parâmetros de muita coisa - até a Sandra Bullock tem um Oscar -, e é bastante provável que Murray, mestre em interpretar ‘losers’, aprecie as frequentes derrotas.

O Cine Olido honra o bom humor do ator na mostra Bill Murray no Cinema, em cartaz a partir de hoje (30). O evento apresenta 15 filmes e faz jus a uma das carreiras mais excêntricas da história do cinema. Do divertido Os Caça-Fantasmas (1984) ao introspectivo Encontros e Desencontros (2003), com um ou outro Garfield (2004) pelo caminho, Murray fez fama e escola com seu olhar lacônico e tiradas autodepreciativas e irônicas.

Bill Murray foi o primeiro ator a dar vida a Hunter S. Thompson, repórter norte-americano de métodos pouco ortodoxos, em Uma Espécie em Extinção (1980). Depois, Thompson foi interpretado também por Benício Del Toro e Johnny Deep, que tomou para si o papel do jornalista. 3ª (3/4), 19h30.

Primeira parceria de Murray com o diretor Ivan Reitman - depois eles fariam dois Os Caça-Fantasmas -, Recruta da Pesada (1981) conta a história de um homem que resolve se alistar no exército após perder tudo. Sáb. (31), 19h.

Bill Murray foi apenas a quarta opção do estúdio para o papel do Dr. Peter Venkman em Os Caça Fantasmas (1984). Um dos personagens mais icônicos da carreira de Murray só foi oferecido ao ator após a recusa de Michael Keaton, Chevy Chase e John Belushi. Ainda assim, Murray só aceitou o papel após o estúdio autorizar a produção de O Fio da Navalha, refilmagem protagonizada por ele de uma produção de 1946. Sáb. (31), 15h.

 

 

Adaptação do Conto de Natal, de Charles Dickens, Os Fantasmas Contra-Atacam (1988) mostra Murray como empresário que é visitado por fantasmas na véspera do Natal. Dom. (1/4), 17h; 4ª (4/4), 19h.

Cinco anos após o lançamento do filme original, Murray retorna como o Dr. Peter Venkman em Os Caça-Fantasmas 2 (1989), uma continuação pouco inspirada do clássico de 1984. Sáb. (31), 17h.

Coprotagonista de Nosso Querido Bob (1991), Richard Dreyfuss diz não ter sido fácil a interação com Murray durante as filmagens. No filme, um psiquiatra passa a atender um paciente obsessivo e inseguro (Murray) que entra em pânico ao descobrir que seu médico sairá de férias. Dom. (1/4), 15h.

 

 

Em Uma Mulher Para Dois (1993), Murray é um gângster e Robert De Niro interpreta um tímido fotógrafo da polícia, que salva a vida do antagonista. Como recompensa, o criminoso presenteia o fotógrafo com uma jovem funcionária de seu clube. 4ª (4/4), 17h.

Em 2 de fevereiro de um determinado ano do início da década de 1990, Phil, o rabugento jornalista de meteorologia de um jornal, acorda ao som de I Got You Babe, de Sonny e Cher. No dia seguinte, de novo. No outro dia também. E assim vai, por um período que alguns fãs calculam ser de mais de oito anos. Feitiço do Tempo (1993) é um dos mais queridos e simpáticos longas já produzidos, a ponto de ser incluído na seção de filmes da biblioteca do Congresso americano, por sua significância cultural, histórica e estética. Hoje (30), 17h; 5ª (5/4), 19h.

 

 

Paródia de filmes de ação e da série ‘James Bond’, O Homem que Sabia de Menos (1997) apresenta o ator no papel de uma americano que vai visitar seu irmão na Inglaterra, onde é confundido com um superespião internacional. Mas o personagem acredita que tudo ao seu redor não passa de um grande espetáculo de teatro. 5ª (5/4), 17h.

Em Os Excêntricos Tenenbaums (2001), Murray interpreta o neurologista Raleigh St. Clair, baseado no cientista britânico Oliver Sacks. 4ª (4/4), 15h. Também dirigido por Wes Anderson,

Filme que rendeu a primeira e até hoje única indicação de Murray ao Oscar, Encontros e Desencontros (2003) foi o início de uma série de filmes que testaram as capacidades dramáticas - ainda que sempre cômicas - do ator. O filme também catapultou Scarlett Johansson ao estrelato e deu novo fôlego à carreira de Murray. Hoje (30), 15h.

 

 

A Vida Marinha com Steve Zissou (2004, foto) mostra o ator como um oceanógrafo egocêntrico, baseado em Jacques Cousteau. 3ª (3/4), 17h.

Sacramentado o fracasso de Garfield - O Filme (2004), Bill Murray deu entrevistas nas quais explicava sua opção pelo filme: "vi que o roteiro era assinado por algumas pessoas e Joel Cohen. Eu adoro os irmãos Coen (premiados com quatro Oscar)! Só depois descobri que não era aquele Joel Coen". 3ª (3/4), 15h.

Aclamado em alguns festivais mais alternativos, Segredos de um Funeral (2009) traz Murray dividindo a tela com Robert Duvall e Sissy Spacek. No filme, um misterioso ermitão, morador do estado norte-americano do Mississipi, promove o próprio funeral ainda vivo. 5ª (5/4), 15h.

 

 

 

Zumbilândia (2009) pode não ser o melhor e nem o mais adorado momento do ator - aliás, a participação de Murray é tão rápida que muita gente nem deve saber que ele dá as caras na produção. Mas em que outra situação Murray estaria tão fanfarrão quanto no papel de si mesmo? Caso ainda não tenha visto o filme, termine de ler este texto apenas após a sessão da mostra no Cine Olido.

Sobrevivente de uma praga de zumbis, Bill Murray finge ser um dosmortos-vivos para pregar uma peça no protagonista do longa. A brincadeira foge ao controle e o herói dá um tiro em Murray. Sem chances de sobreviver, o ator é rodeado por algumas pessoas e é questionado pela personagem Little Rock (Abigail Breslin): ‘Você tem algum arrependimento?’. Murray hesita, pensa um pouco, olha para sua inquisidora e responde: "Garfield, talvez". Hoje (30), 19h30.

Futuras fanfarronices

Apesar da vontade dos produtores e do público, é pouco provável que Bill Murray volte a encarnar o Dr. Peter Venkman em uma continuação de Os Caça Fantasmas 2. Em fevereiro, jornais britânicos divulgaram que a produção do terceiro filme havia sido suspensa enquanto o diretor Ivan Reitman e os produtores buscavam um enredo melhor para o roteiro, mas Murray já teria descartado sua participação. Com previsão de lançamento para o final de maio nos Estados Unidos, Murray está em Moonrise Kingdom, retomando a parceria com o diretor Wes Anderson (de Rushmore, Os Excêntricos Tenenbaums e A Vida Aquática com Steve Zissou). Para o final do ano, Hyde Park on Hudson trará Murray no papel do ex-presidente norte-americano Franklin Roosevelt (1882-1945).

Cine Olido. Galeria Olido, Av. São João, 473, Centro. 3331-8399. R$ 1.

Tudo o que sabemos sobre:
Bill MurraycinemaDivirta-se

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.