CIA tenta melhorar sua imagem na TV

Em baixa desde os ataques terroristas aos Estados Unidos, a Agência Central de Inteligência (CIA) é tema de três seriados de TV que entram em cartaz nas próximas semanas. Os programas, alguns dos mais aguardados da nova temporada da TV americana, estréiam com o selo de aprovação do órgão, que pela primeira vez cooperou com Hollywood e chegou a deixar que cenas fossem filmadas em suasede. O objetivo é melhorar a imagem do órgão que vem sendo acusado de falhar no combate aos terroristas.Muito tempo antes de Osama bin Laden, a CIA resolveu que tinhade ganhar mais respeito do público americano. Cinco anos atrás, ainstituição suspendeu sua política de negar ajuda a produtoresde cinema e TV. O agente Chase Brandon, com 25 anos de carreira,passou a ser o "adido" da agência para Hollywood. Ele serviucomo consultor de dois dos programas que entram no ar naspróximas semanas. The Agency, da emissora CBS, já foi descrito como uma versãoCIA de The West Wing, o popular seriado sobre os bastidoresda Casa Branca na NBC. Gil Bellows, ex-Ally McBeal (Fox),faz o papel de um agente secreto do alto escalão da agência. Anova série é considerada a que melhor retrata o trabalho doórgão, tanto que recebeu sua cooperação completa. Foram dadosconselhos sobre protocolo e até o que seria feito em situaçõeshipotéticas. O piloto do programa chegou a ser gravado em suasede, em Langley, Virgínia. A CIA também cedeu pôsteres,bandeiras, selos, tudo com a imagem da instituição. A CBSgarante que o distanciamento crítico e sua liberdade forammantidos.Outro seriado que recebeu apoio é Alias, de J.J. Abrams, ocriador de Felicity (WB). A série da ABC é sobre umaestudante (Jennifer Garner) contratada como agente secreta da CIA. O programa, que já foi descrito como "Felicityvira espiã", tem referências a histórias em quadrinhos e bebena fonte do filmes como La Femme Nikita, de Luc Besson, e até Corra Lola Corra, de Tom Tykwer.O mais aguardado dos três seriados é o único que não tevenenhuma ajuda da CIA. 24, da Fox, tem Kiefer Sutherland comoum agente secreto que pretende deter um assassinato político aomesmo tempo em que tenta encontrar sua filha, que estádesaparecida. O hype do programa é que a história é passada emtempo real. Cada episódio da temporada corresponde a 1 hora deação em uma trama de 24 horas. Ou seja, toda a história serápassada em apenas um dia. O programa é de Joel Surnow e RobertCochran, fãs do escritor John Le Carré e roteiristas do seriadoLa Femme Nikita.Os ataques terroristas de 11 de setembro atrapalharam a estréiados seriados. The Agency teve seu episódio de estréia engavetado porque tratava justamente de um atentado terrorista, uma bombaem um prédio em Londres. Outro episódio já gravado seráexibido na estréia, no dia 27. 24, por sua vez, mostra aexplosão de uma bomba em um avião. Segundo a Fox, a trama será mantida, até porque os 24 episódios desta temporada estãoligados à mesma história.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.