Cia. Lia Rodrigues dança a Bauhaus

Em janeiro, os organizadores dofestival Culturgest, de Lisboa, Portugal, fizeram um convite,quase um desafio, a Lia Rodrigues e sua companhia: retratar, pormeio da dança contemporânea, a obra de um dos artistas maisinfluentes da Bauhaus, Oskar Schlemmer. Aí está o embrião doespetáculo Formas Breves, que estréia nesta sexta-feira emcurta temporada - até domingo - no Sesc Vila Mariana.Sem ter muitas referências sobre Schlemmer, Lia debruçou-sesobre livros e catálogos. "Assim que fui convidada a participardo Culturgest, avisei que meus conhecimentos sobre ele eramrestritos; lembrava-me de uma exposição de 1972 em comemoraçãoaos 50 anos da Semana de Arte Moderna no Masp, quando vi a obraBalé Triádico, de Schlemmer, fiquei impressionada, guardo aimagem até hoje. Fui estudar, pesquisar em catálogos, viajeipara a França, discuti uma série de textos com os bailarinos",diz Lia. O processo de criação foi feito em parceria com osintérpretes, que agiram como co-autores.Schlemmer foi pintor e diretor teatral da Bauhaus durante osanos 20 e dedicou sua carreira à exploração de um tema: o homeme a máquina, mais especificamente o mundo tecnológico que ocerca. Para isso, o artista fez uso de uma enorme gama detécnicas: pintura, desenho, gravuras, teatro e dança. Um dosaspectos mais importantes de sua obra está na antecipação doshappenings dos anos 60 e das performances dos 80. Na dançaenfatizava a figura humana, ao mesmo tempo que queria chegar aum efeito mecânico, algo parecido com os movimentos executadospor marionetes.Para elaborar a coreografia, a companhia contou com o apoio dacrítica de dança e dramaturga Silvia Sotter. "Pela primeira veztrabalhamos dessa maneira. O processo criativo foi diferente e,como resultado, um grande aprendizado." A coreografia ganhouuma segunda parte quando o grupo foi convidado a participar dofestival Dança Brasil 2002, organizado pelo Centro CulturalBanco do Brasil, do Rio. O tema do evento estava ligado àproposta do escritor Italo Calvino para o novo milênio. Liacruzou as idéias do artista com as do escritor para compor seuespetáculo.Formas Breves pode ser compreendido como uma continuidade dareflexão que havia embutida no espetáculo anterior, Aquilo deque Somos Feitos. Corpos nus passam a ser trabalhados comopeso, volume, velocidade, tempo e espaço. Um corpo, simples, queadquire novas formas. O início da coreografia é marcado pelosilêncio somado a movimentos lentos. A pergunta da bailarina:"E então, até aqui está tudo bem?" quebra o ritmo. Ao som demúsica eletrônica, os gestos se intensificam, as formas mudam.Após a apresentação, o público poderá debater a coreografia coma crítica de dança do jornal O Estado de S.Paulo, HelenaKatz, e com os integrantes da companhia.Projetos - Lia Rodrigues e companhia entram em turnê, em agosto,pela Europa com apresentações na França (Avignon), Escócia(Edimburgo) e Alemanha. Mas, sem dúvida, a excursão marcantepara o grupo será em setembro, para Amapá, Acre e Rondônia, comapoio do Sesc Brasil. "Só conseguimos fazer essa viagem,importantíssima, já poucos espetáculos chegam até o Norte doPaís, graças ao patrocínio de um ano da Brasil Telecom. Láfaremos workshops, oficinas, aulas práticas e teóricas, com oapoio do crítico Roberto Pereira, e mostraremos fitas de vídeosobre dança."Lia também prepara um novo espetáculo em parceria com o artistaplástico Tunga. "Temos muitas idéias e muito tempo paraelaborá-las, aprofundar pensamentos e pesquisa antes daapresentação em si. Não há pressa." Outro projeto que Lia ePereira colocarão em cena nas duas primeiras semanas de novembro, o Panorama Rio-Arte de Dança, promete esquentar o semestre.O festival ainda está com a programação aberta, mas com um nomeque gerará polêmica, Jerome Bell, com o espetáculo The ShowMust Go On. O coreógrafo também participará do FestivalInternacional de Dança, em Belo Horizonte, e fará apresentaçõesno Sesc, em São Paulo. O festival carioca anuncia surpresas:"Fui a Portugal assistir ao Danças na Cidade e estamospensando em trazer artistas de lá e também da África, mas nãotemos nada certo por enquanto."Serviço Cia. Lia Rodrigues. Sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 18horas. De R$ 5,00 a R$ 15,00. Sesc Vila Mariana. Rua Pelotas,141, tel. (11) 5083-1000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.