Cia. do Latão discute processo criativo

Companhia do Latão abre nesta quarta-feira a programação de outubro de Reflexos de Cenas do Sesc Consolação. O projeto começou em agosto e tem o objetivo de discutir o processo criativo dos espetáculos e abrir espaço para apresentação de grupos com trabalho de pesquisa em andamento ou finalizado. A idéia é encenar pequenos trechos das peças e discutir sobre o processo criativo que as envolveu. Neste mês, estão sendo abordados o teatro, a dança e a performance. São sempre dois grupos convidados por encontro, sempre às quartas-feiras, às 20 horas, na Sala Ômega (8º andar).Nesta quarta-feira, é a vez da Companhia de Teatro do Latão mostrar o processo de criação das performances de sua Comédia do Trabalho, que esteve em cartaz no próprio Sesc Anchieta. A peça faz uma crítica ao neoliberalismo mostrando os artifícios de dois empresários para extrair dos fundos públicos dinheiro para recuperar a saúde financeira de sua empresa.O outro espetáculo que será discutido é Dos Venenos o Mais Santo, que conta a história de um seqüestro fazendo uso de uma linguagem simbólica, não verbal. O diretor José Germano Melo e as atrizes Lilianna Matheus e Priscila Jorge vão discutir e explicar o processo criativo da peça, para o público, nesta quarta.Confira a programação completa do evento:Dia 11A Modelo - O espetáculo aborda o ponto de vista da modelo sobre o aprendizado do desenho. Apresenta considerações sobre as artes plásticas, suas reflexões sobre o ofício da modelo e do desenhista, fazendo um contraponto com a própria vida. Texto, concepção e encenação: Nora Prado. Direção: Ângela Santangelo. Impressões - O espetáculo fala sobre o tédio e a construção da vida a partir de valores e padrões de comportamento pré-estabelecidos. Duas mulheres solitárias, frágeis, encerradas em um cotidiano monótono, escrevem cartas sem cessar a partir de suas impressões sobre assuntos como amor, a morte, a fé em Deus, o "mundo de Caras", as drogas todas: todynho, baconzinhos". Com Maria Stela Tobar e Lena Roque. Texto, concepção e direção: Lena Roque. Co-direção: Eduardo Estrela. Dia 18Antes Só que Acompanhado - Espetáculo cômico de repertório concebido através da fusão das linguagens da mímica e do teatro clownesco, expondo as debilidades e fragilidades do ser humano de maneira bem humorada. Concepção e atuação de Cláudio Carneiro.Vagalum Tum Tum - Primeiro trabalho da companhia que leva o mesmo nome, pesquisam o lirismo como forma de expressão do clown. Com Ângelo Brandini, Cristiane Lima, Paola Musatti e Thaís Pimpão. Roteiro e direção: Ângelo Brandini.Dia 25Em Nós. Para Nós. - Espetáculo que tem como ponto de partida, tanto na dramaturgia quanto na concepção cênica e na interpretação dos atores, uma investigação a cerca do universo sufista. Segundo Idies Shah, o sufi é um asceta, alguém que já consegue unir a sua alma com Deus; que já tem amplo domínio sobre as paixões desse mundo. Com Aline Martins, Danielle Barros, Luciano Baldan, Marcelo Rodrigues e outros. Dramaturgia: Sérgio Pires. Direção Simone Shuba. M.c.c.r.e.2 - Baseado na técnica de mímica corporal dramática, o espetáculo discute os valores humanos. Um homem qualquer, num dia qualquer, acorda do seu sonho de felicidade, enxerga a realidade por outro ângulo, pondo em dúvida a vida e os seus valores. O que é mais importante: o homem ou o que ele possui? Encenado por Victor Seixas. Núcleo Aangatu.Reflexos de Cenas. De 4 a 25 de outubro, quartas, às 20h Sala Ômega (8º andar), SESC Consolação, Rua Dr. Vila Nova, 245. Grátis 50 lugares. Duração: 120 minutos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.