Chuva não atrapalha exposição de Niemeyer

A chuva de hoje não atrapalhou a visitação à exposição ao ar livre de esculturas do arquiteto Oscar Niemeyer, na Praia do Leme. As cinco peças - intituladas Mulher I, Contra a Violência, Retirantes, Forma no Espaço III e Forma no Espaço W - foram desenhadas no ano passado e neste ano, e confeccionadas em ferro pintado de vermelho. As esculturas pesam mais de uma tonelada e estão avaliadas em US$ 100 mil cada uma. Niemeyer disse que escolheu o Leme "por causa da bela paisagem". "O mar ao fundo dá a idéia do espaço livre que contrasta com o metal, daí a opção pela praia" disse. "A arte é mesmo feita para o povo e essas peças têm sete metros de altura, foram feitas para o exterior."Os cariocas aprovaram a idéia. Os surfistas Alexandre Balassiano, Eduardo e Márcio Magalhães, aborrecidos pois as peças estavam no meio da quadra de vôlei em que costumam jogar, gostaram. "Um pouquinho de cultura é bom para todo mundo", disse Márcio. Para Eduardo, "é muito bom ter acesso a Niemeyer sem ter que pagar caro para entrar num museu".As psicólogas Elcira Ligia Melo e Maria Vitória de Carvalho, foram de carro de Botafogo até o Leme para visitar a exposição. "Isso aqui é fantástico, como tudo que vem de Niemeyer", afirmou Elcira. "Viemos aqui especialmente para ver as obras ", completou Maria. Segundo ela, o arquiteto "é um gênio, por incluir sempre suas preocupações sociais às suas formas".

Agencia Estado,

16 de julho de 2000 | 20h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.