Christiane Torloni adora fazer o papel de vilã

Polêmica e briga é com ela mesmo. Quem não se lembra da personagem Malvina Cruela, do filme 101 Dálmatas, vivida pela atriz Glenn Close? Obcecada por ter um casaco feito das peles dos pobres cachorrinhos, ela foi capaz de cometer as piores maldades em nome de seu capricho, sem perder o humor. Semelhante a ela está Laila, vivida por Christiane Torloni em Um Anjo Caiu de Céu, uma mulher centrada e egoísta o suficiente para cometer todas as maldades, sem deixar de soltar uma boa gargalhada no final. "Ela está mais para a Cruela do que para a vilã tradicional", define a atriz. Satisfeita por criar tantos conflitos - seja infernizando a vida da irmã Naná (Renata Sorrah), o marido Alceu (Paulo José) ou a filha Cuca (Débora Falabella) - Laila será capaz de tudo para atrapalhar a vida de quem não suporta e, conseqüentemente, melhorar a sua. "Ela é uma inteligência a serviço do mal e a vaidade impera nela", define a atriz, que volta às novelas depois da sua última participação em Torre de Babel.Longe da tevê há dois anos, Christiane aproveitou para "balancear" os trabalhos no teatro e na tevê. "Acho que quando se chega aos 25 anos de carreira você precisa fazer isso", explica ela, que promete voltar com uma nova temporada da peça Joana D´Arc, já assistida por mais de 40 mil pessoas. "Esse é um dos motivos que me incentiva a voltar aos palcos no segundo semestre", afirma. Na nova turnê estão incluídos Rio de Janeiro, São Paulo e outros quatro estados brasileiros.Enquanto não precisa conciliar as gravações com os ensaios da peça, a atriz de 44 anos aproveita para se dedicar totalmente ao novo trabalho. "Já havia trabalhado com o Antônio Calmon (autor da novela) antes. Com ele fiz um personagem duplo em Cara e Coroa. A Laila é bem diferente da vilã Fernanda, que fiz nessa novela ", relembra. Dona de uma beleza exótica, Laila é uma ex-modelo que tentou a sorte como estilista, mas fracassou. Diferente da irmã, que obteve sucesso na profissão. Aliás, esse é um dos muitos motivos que leva Laila a odiar e invejar Naná. Como se não bastasse, ela foi capaz de transar com o cunhado - o fotógrafo João Medeiros (Tarcísio Meira) - e dessa única noite entre eles nasceu Cuca, uma filha que João terá de colocar no carminho correto durante os seis meses que ainda permanecerá na Terra."Ambição é a palavra chave que define a Laila", atesta a atriz. "Todas as suas ações são voltadas para a capacidade que tem de articular as coisas e as pessoas", explica. Tanto é verdade que a ex-modelo só pensa em explorar a filha na profissão, transformando-a numa grande top model, mesmo contra sua vontade. "Tudo na vida da Laila acontece muito rápido. E para ela tudo tem que dar certo. Isso também se aplica ao relacionamento dela com a filha."Envolvida com o mundo da moda, Laila será um dos destaques da novela, segundo a figurinista Emília Duncan. "O figurino dela inspira poder. Ela é a perua com domínio de moda", aposta. Dona de um estilo próprio, ela usará roupas inspiradas nos anos 60, sem deixar de ser extravagante e moderna. "O cabelo alto veio da socialite Carmen Mayrink Veiga no auge nos anos 60 e 70. Para as coisas dela também busquei referências no Valentino antigo e no Gucci atual", explica Emília.Semelhante à sua personagem, Christiane também é vaidosa e desfila por aí dando inveja a qualquer mocinha no auge dos 20 anos. "Ah...a gente se cuida um pouco e sempre procura coisas que façam bem", conta. "Estou adorando fazer a Laila. Além de ser uma mulher poderosa, ela é chiquérrima", conclui, revelando ainda que não teve dificuldades para entrar no personagem. "Minha avó era estilista e fui criada nesse ambiente de moda desde cedo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.