Chinês acha 'Kung Fu Panda' insultante e processa Spielberg

Artista Zhao Bandi se define como 'defensor do panda' e diz que Hollywood 'roubou' o símbolo nacional da China

Efe,

18 de julho de 2008 | 14h19

O artista chinês Zhao Bandi entrou com um processo contra a DreamWorks, a produtora do cineasta americano Steven Spielberg, por considerar o filme Kung Fu Panda um insulto contra o panda, símbolo da China. Zhao Bandi é conhecido por incluir imagens de ursos panda em sua obra e de desenhos de moda inspirados neste animal, e se define como um "defensor do panda". "Levei a denúncia ao tribunal na quarta-feira", disse nesta sexta-feira, 18, Zhao, de 42 anos, à Agência Efe, ofendido pelo fato de Hollywood ter "roubado" o símbolo nacional e as artes marciais chinesas. O artista chinês disse que decidiu entrar com o processo porque o panda protagonista, Po, "tem os olhos verdes" e também "é filho de um pato", o que considera uma "distorção moral". Kung Fu Panda é uma comédia de animação ambientada na China que narra a história de Po, que deixa de trabalhar como garçom no restaurante de seu pai, o pato, e se transforma em um herói das artes marciais cujo destino é cumprir uma antiga profecia e salvar seu condado de uma catástrofe. Zhao exigiu que a produtora de Spielberg peça desculpas publicamente através da imprensa chinesa. Outro motivo para apresentar a denúncia é que o panda Po aprende o kung fu, arte marcial tradicional da China, com um "urso americano". A denúncia foi feita ao Tribunal Popular do Distrito de Chaoyang, em Pequim, contra a DreamWorks e a distribuidora do filme no país, a Paramount Pictures China.  Zhao afirma que não espera ser compensado com a queixa, mas que a DreamWorks se encarregue dos custos judiciais.

Tudo o que sabemos sobre:
'Kung Fu Panda'China

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.