China ganha primeira tradução sem cortes de "Lolita"

A primeira tradução sem censuras para o mandarim do livro "Lolita", do americano de origem russa Vladimir Nabokov, foi lançada hoje em toda a China, publicada por uma editora de Xangai, informou hoje a agência oficial Xinhua.A nova edição chinesa de "Lolita" foi traduzida por Zhu Wan, editada pela Casa de Publicação de Traduções de Xangai, e contém pela primeira vez fragmentos eróticos que antes tinham sido considerados muito escandalosos para os leitores chineses.Até agora havia no mercado mais de dez versões chinesas, desde o surgimento da primeira delas, em 1989, mas sempre com fragmentos "sensíveis" cortados."Lolita", lançado pela primeira vez em Paris em 1955, conta com ironia a história de um homem que se apaixona por uma adolescente de 12 anos e se casa com sua mãe, viúva e doente, para estar perto da jovem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.