China diz que guerreiros expostos na Alemanha são falsificações

A China confirmou na quinta-feira que ossupostamente antigos guerreiros de terracota chineses expostosnum museu alemão são falsificações e condenou os organizadoresda exposição por ludibriar o público. Enquanto a polícia investiga a autenticidade das figuras deterracota, o Museu de Etnologia de Hamburgo ofereceu adevolução do valor do ingresso a cerca de 10 mil visitantes quejá viram a exposição "Poder na Morte" desde sua abertura, em 25de novembro. A exposição de oito figuras de guerreiros, dois cavalos e60 objetos menores continua aberta, mas ostenta um avisodizendo que a autenticidade dos artefatos está em dúvida. A administração do patrimônio cultural da província chinesade Shaanxi, origem do exército de terracota de 2.000 anos, sedisse "ultrajada" porque não enviou guerreiros de terracotaoriginais à Alemanha recentemente. "Todos os objetos expostos em Hamburgo são reproduções",disse o órgão em seu site (www.wenwu.gov.cn), em comunicadoformulado em linguagem contundente. "Não tínhamos qualquer conhecimento da exposição. Trata-sede um ato muito grave de logro da mídia e do público", disse ocomunicado, desmentindo relatos segundo os quais o órgão teriasido um dos responsáveis pela exposição. Descoberto há 30 anos por um lavrador quando escavava umpoço, o exército de terracota guardava o túmulo do primeiroimperador da China, Qin Shihuangdi, que unificou o país em 221a.C.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.