Chimarrão vira ingrediente de cerveja

Sai lúpulo, entra erva-mate; bebida brasileira chama atenção de outros países

Eloá Orazem, do estadao.com.br,

09 de janeiro de 2008 | 13h46

Foi numa conversa sobre os rumos do mercado cervejeiro que os amigos Marcelo Carneiro da Rocha e Eduardo Bier Corrêa, o Dado, tiveram a idéia de usar matérias-primas brasileiras para criar uma bebida inovadora que os destacasse da concorrência.   "O Marcelo pensou em diversos símbolos da nossa cultura, como o mel e a mandioca, por exemplo, e aí ele sugeriu que eu fizesse algo com o chimarrão, já que tenho residência e comércio estabelecidos no sul do País", relata Dado.   Receoso sobre a receptividade do público, o dono da Dado Bier confessa que, a princípio, ficou resistente em relação à idéia do amigo. "O chimarrão é, talvez, o maior ícone da cultura gaúcha. Não queria mexer com algo tão sério, mas também não queria perder a oportunidade de criar algo inovador que pudesse ser bom para os negócios", relata.   Dado, então, decidiu amadurecer a idéia, mas só lançaria o novo produto se os testes técnicos obtivessem um bom desempenho.   Pesquisando mais sobre a erva-mate (substância indispensável e ímpar na receita do chimarrão), Dado descobriu que a erva tinha grandes semelhanças com um componente importante da cerveja: o lúpulo. "Ambos têm sabor amargo, aromas parecidos e são antioxidantes, o que é fundamental para a cerveja", afirma o cervejeiro. "Mas tirando esses aspectos, tecnicamente elas não tinham mais nada em comum", continua.   E foi justamente nesta divergência técnica que Dado encontrou o maior obstáculo para a fabricação da cerveja de chimarrão. "Temos muitos dados de como o lúpulo funciona na cerveja e sabemos de quase tudo o que podemos 'ousar' neste ponto, já quando o assunto é a erva-mate... Ninguém nunca tentou nada como isso. Não havia relatos de como ela agiria na cerveja, então nós teríamos que realizar os testes por nossa conta e risco e, aos poucos, ir aprimorarando a experiência".   Um ano e meio depois, Eduardo Bier Corrêa aprovou os resultados da sua criação e lançou, em dezembro de 2007, a DaDo Bier Ilex, a primeira cerveja de erva-mate.   "O resultado não poderia ter sido melhor", alegra-se o criador da bebida, "claro que recebemos críticas dos mais conservadores, mas eu já estava preparado para isso", acrescenta o fabricante.   O sucesso estrondoso da Dado Bier Ilex ultrapassou as fronteiras brasileiras e invadiu os países vizinhos. "Recebi recados da Argentina, do Uruguai, do Chile... Tudo foi muito maior do que programamos", diz Dado, que teve que multiplicar por seis a distribuição inicialmente planejada e já tem propostas para exportar seu novo produto.   A idéia de disponibilizar a bebida para outros países está sendo estudada e Dado já pensa em outras novidades: "com o frenesi causado pela cerveja de chimarrão, eu me senti motivado a criar mais coisas. Ainda no primeiro semestre deste ano, a Dado Bier lançará um novo produto, mas prefiro aguçar a curiosidade de todos e não revelar nada sobre o assunto".

Tudo o que sabemos sobre:
CervejaChimarrão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.