JF Diório/AE
JF Diório/AE

Chico Buarque na platéia: frisson no Prêmio Jabuti

Escritor chegou discretamente e saiu como grande vencedor com seu romance 'Leite Derramado'

Ubiratan Brasil, O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2010 | 13h51

Chico Buarque chegou discretamente ao auditório da Sala São Paulo, na noite de quinta-feira, durante a cerimônia de entrega do 52º Prêmio Jabuti de Literatura. Para um homem avesso a cerimônias públicas, no entanto, sua presença indicava algo mais. Terminou a noite como autor do Livro do Ano de Ficção e ganhou também o prêmio Voto Popular.

 

 

Veja também:

linkChico ganha seu 3.º Jabuti

 

 

"Gosto de receber esse prêmio, por isso venho sempre que posso", disse o escritor ao Estado. "Só não vim em 2004 (quando ganhou por ‘Budapeste’) porque estava viajando." E arrematou, sorridente: "Estou aumentando minha coleção". De fato, desde quinta-feira, Chico tornou-se o autor com mais obras eleitas Livro do Ano, somando três - além de Leite Derramado e Budapeste, venceu também em 1992, por Estorvo.

 

 

Pelo seu livro Leite Derramado (Companhia das Letras), ele tinha ao menos uma distinção garantida: a estatueta de 2.º colocado na categoria romance - em primeiro, ficou Se Eu Fechar os Olhos Agora (Record), de Edney Silvestre. Já O Tempo e o Cão (Boitempo), de Maria Rita Kehl, foi eleito o Livro do Ano de não-ficção.

 

A presença de Chico Buarque provocou um frisson na Sala São Paulo. Sentado ao lado de seu editor Luiz Schwarcz, ele atraiu uma infinidade de fãs (a maioria mulheres e até uma criança) e nomes também conhecidos, como a atriz Regina Duarte e o senador Eduardo Suplicy.

 

Quando subiu ao palco para receber sua primeira estatueta (a de 2.º colocado na categoria romance), o escritor brincou com o tamanho do jabuti, que considerou pequeno. Recebido o último prêmio, ele deixou rapidamente a Sala São Paulo.

 

Chico, no entanto, não tem intenção de aumentar sua coleção de Jabutis. "Não estou escrevendo nenhum outro romance, apenas músicas", disse ele, que recebeu R$ 30 mil pela escolha do livro do ano. Sua conta bancária poderá aumentar na segunda-feira quando serão anunciados os vencedores do Prêmio Portugal Telecom. Leite Derramado está entre os nove finalistas (Caim, de José Saramago, foi retirado da competição a pedido da Fundação que leva seu nome) e o vencedor receberá R$ 100 mil.

 

Os vencedores do Prêmio Jabuti são escolhidos por um júri abrangente, formado por profissionais do mercado editorial como livreiros, que constroem sua opinião também pelo retorno financeiro do livro. E Leite Derramado frequentou a lista dos mais vendidos durante algumas semanas do ano passado.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Chico BuarquePrêmio Jabuti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.