Chico Buarque é homenageado com livro-agenda

Mesmo entre os mais ardorosos fãs de Chico Buarque, poucos conhecem a poesia original da canção Tanto Mar, inspirada na lusitana Revolução dos Cravos. Censurada no Brasil, já haviam "murchado a festa" quando Chico pôde gravá-la com letra, daí as diferentes versões. Para os curiosos, a original está agora publicada no livro-agenda Anotações com Arte, que será lançado hoje no Teatro Municipal. São muitas as informações sobre a vida e a obra de Chico,- música, teatro e literatura - o homenageado da vez dessa agenda diferenciada: além de espaço para anotações, fotos, curiosidades e dados biográficos. Há coisas que podem fazer a delícia de fãs, como a reprodução de um bilhetinho de despedida para a avó, escrito por Chico aos 9 anos de idade: "Olhe vozinha não se esqueça de mim. Se quando eu chegar aqui e você já estiver no céu, lá mesmo veja eu ser um cantor do rádio." Informações raras só puderam estar no livro-agenda graças à colaboração da família do compositor, em especial da irmã Miúcha, e, claro, à aprovação do homenageado. "Foi um prêmio ele ter aceitado; todos sabem como é reservado", diz o produtor cultural Fred Rossi, idealizador do projeto. Em 2003, ele produziu o primeiro livro-agenda, que retratava o poeta Vinícius de Moraes. Mais uma vez, o ator e dramaturgo Oswaldo Mendes ficou responsável pela redação final dos textos. Anotações com Arte já está à venda nas lojas da Fnac de São Paulo, Rio, Brasília e Curitiba. Livro-agenda Chico Buarque - Anotações com Arte - R$ 58. Lançamento hoje às 20 horas, no Teatro Municipal. Praça Ramos de Azevedo, s/n.º, 222-8698

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.