Chico Buarque, a presença mais temida

A cada momento que o elevador do Museu da Língua Portuguesa abria suas portas, voltava a apreensão: será que ele chegou? Um dos escritores mais esperados entre os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura, Chico Buarque de Holanda monopolizava boa parte das conversas, pois sua presença ratificaria a vitória de seu livro, Leite Derramado (Companhia das Letras).

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2010 | 00h00

O suspense sobre sua vinda, aliás, incentivou diversas redes sociais, como o Twitter no qual se formou uma corrente esperançosa, a do "Vem, Chico!".

Já a escritora Ivana Arruda Leite, que concorria com Hotel Novo Mundo (Editora 34) na categoria de estreantes, corria no sentindo contrário, incentivando o compositor a não vir a São Paulo. Bem-humorada, ela justificava que a presença de Chico Buarque monopolizaria a atenção da mídia e de convidados, relegando a um plano bem inferior os demais concorrentes.

Chico, no entanto, continua avesso a badalações, especialmente literárias - ele só participou, nos últimos anos, de duas edições da Festa Literária Internacional de Paraty e da Jornada Literária de Passo Fundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.