Nana Moraes/Divulgação
Nana Moraes/Divulgação

Chega a São Paulo musical infantil de Luana Piovani

Versão do clássico de Hans Christian Andersen tem direção de Gabriel Vilella

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 11h06

Sob o comando da atriz Luana Piovani, o clássico "O Soldado de Chumbo", do dinamarquês Hans Christian Andersen, ganhou uma roupagem bem brasileira, e virou um delicado musical infantil, que estreia neste sábado, no teatro Procópio Ferreira. Nas mãos de Luana, a peça ganhou o título de "O Soldadinho e a Bailarina". Essa é a terceira montagem infantil estrelada pela atriz, que já se apresentou com "Alice no País das Maravilhas" (2002) e "O Pequeno Príncipe" (2006).

"Escolhi esse texto porque ele fala de coisas que eu queria falar, como o amor que faz o olho brilhar e que todo mundo sente", diz Luana, que também produziu o espetáculo. Ao todo, foram quase dois anos de trabalho com a equipe, desde a ideia inicial até levar a peça aos palcos do Rio de Janeiro, onde estreou em abril deste ano. A direção ficou a cargo de Gabriel Vilella. Foi dele a decisão de transformar o texto num musical. "Todos na equipe são do interior. A Luana é de Jaboticabal (SP), eu sou de Minas Gerais. A musicalidade do espetáculo é resultado dessa mistura de sonoridade e melodia", diz o diretor.

Vilella também é o responsável pelo figurino cheio de bordados, cores e tecidos leves vistos no palco. Todas as roupas vieram de uma viagem que o diretor fez pela Europa, em meados do ano passado. Durante a viagem, ele encontrou um soldado em Budapeste, na Hungria, que vendia os trajes usados pela cavalaria e pelas mulheres em celebrações oficiais e festas da cidade. Comprou vários desses itens. Para trazê-los ao Brasil, precisou fazer malabarismo.

"O limite de peso por passageiro era de apenas 12 kg. Por sorte, estava viajando com mais dois amigos e vestimos todas as roupas para embarcar", lembra. Para isso, a saia que Luana Piovani usa no palco acabou virando um top, por exemplo. Já no Brasil, as peças confeccionadas em linho foram para Minas Gerais, para serem rebordadas com as cores desejadas pelo diretor e figurinista.

Também não foi fácil para Luana aprender tudo o que era necessário para viver a bailarina de papel, Sofia, que mora no quarto do menino Euclides e se apaixona pelo soldado de chumbo, Perneta, interpretado por Pablo Áscoli. A atriz teve de aprender canto e balé clássico. "No começo das aulas de canto, eu achei que ia enlouquecer", conta. "Tinha de acertar meu tom com várias pessoas cantando em ritmos e tons diferentes em volta de mim. Quando você vai ficando mais velho, fica mais difícil aprender certas coisas", diz a atriz de 33 anos. Luana já pensa no próximo espetáculo que pretende produzir. "Por enquanto, não posso dar muitos detalhes. Só dá para dizer que será um musical adulto e que também terá o Vilella na direção", declara ela. As informações são do Jornal da Tarde.

O Soldadinho e a Bailarina - Teatro Procópio Ferreira (R. Augusta, 2.823, Jardins). Tel. (011) 3083-4475. Sáb. e dom., às 16h. Ingressos: R$ 60. Livre. Indicado para crianças acima de 2 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
teatromusicalinfantilLuana Piovani

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.