Chefs espanhóis discutem por conta de cozinha 'pretensiosa'

Cozinheiro de um restaurante tradicionalista critica a 'nova cozinha', provocando reações de seus chefs

Jason Webb, da Reuters,

20 de maio de 2008 | 18h45

Um chef com três estrelas Michelin causou uma forte divisão entre os chefs da região, ao atacar as criações vanguardistas que revolucionaram a cozinha espanhola como "pretensiosas".Restaurantes como o El Bulli, próximo de Barcelona, considerado o melhor do mundo pela revista Restaurant, recusaram as técnicas da cozinha tradicional pelas criações de sabores high-tech com espumas e gel. Na última semana, Santi Santamaria, um tradicionalista, cujo restaurante Can Fabes tem três estrelas, chamou o chefs espanhóis de pretensiosos e disse que seus pratos de "papel com flores" impressionam mais do que satisfazem. Disse também que o uso de substâncias químicas poderia colocar em risco a saúde dos clientes.  "Como produtos que não são recomendados para a saúde são consumidos nos mais importantes restaurantes do país?" disse Santamaria. "Eles dão pratos a seus clientes que eles mesmo não comem." Os chefs atacados divulgaram nesta terça um comunicado acusando Santamaria de ciúmes e de colocar em risco a reputação conseguida com muito trabalho pelos chefs espanhóis. "Deitar por terra o prestígio conquistado por nossa profissão com esforço de todos por muitos anos de fazer as coisas honestamente é, no mínimo, um atentado ao espírito de solidariedade e respeito aos colegas", disse o comunicado de Euro-Toques, uma associação da qual participam 800 chefs. "Além disso, o fato de ele desconfiar da utilização de produtos saudáveis cria um alarme social de conseqüências incalculáveis", diz o comunicado, explicando que os novos produtos em gel e espessantes têm todas as garantias legais. A "Nova Cozinha" espanhola tem sido imitada em todo o mundo, pela influência de cozinheiros como Heston Blumenthal, na Inglaterra. Ferrán Adriá, chef e proprietário do El Bulli, é considerado o chef mais influente do mundo. Santamaria criticou especialmente Adriá, por considerá-lo um chef-espetáculo. "Temos um divórcio conceitual e ético sobre o que se põe em um prato", disse Santamaria, que se define como "um cozinheiro artesanal", que prefere a comida mais saudável às criações da nova cozinha.

Tudo o que sabemos sobre:
culináriaEspanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.