Charlotte Brontë temia ser processada pelo livro Jane Eyre

A escritora britânica Charlotte Brontë (1816-1855) temia ser processada devido a seu livro Jane Eyre e precisou escrever uma carta desculpando-se publicamente pela descrição de uma escola inglesa que aparece nessa obra, segundo uma série de cartas que serão leiloadas no país. O atrito se deu devido à descrição literária de Brontë sobre as péssimas condições na Lowood School, escola ficcional inspirada no Clergy Daughters´ School, de Cowan Bridge, em Lancashire. Além disso, a escritora utilizou a figura do fundador e diretor dessa instituição, o reverendo William Carus-Wilson, como inspiração para o personagem de ficção Mr. Brocklehurst, o autocrático e agressivo diretor de Lowood. De acordo com as cartas encontradas, Carus-Wilson se enfureceu ao ler a descrição de Brocklehurst em Jane Eyre, quando a obra foi publicada, em 1847, e procurou conselhos legais para iniciar uma ação contra a escritora. A ação judicial foi evitada apenas porque Brontë escreveu uma carta desculpando-se publicamente e admitindo ter exagerado sobre a personalidade do diretor. A história da disputa está narrada em três cartas do neto de Carus-Wilson, Edward Carus-Wilson, que serão leiloadas em 21 de junho por uma casa de leilões londrina por US$ 200 cada. Elas foram escritas em 1912, quando Carus-Wilson vendeu a carta de desculpas escrita por Brontë a um colecionador inglês para poder pagar um tratamento médico para seu filho. Richard Westwood-Brookes, especialista em documentos antigos da casa de leilões Mullock Madeley, em Shropshire, decidiu investigar em detalhes o conteúdo das cartas e descobriu a briga. "Os especialistas em Brontë no Museu de Parsonage em Haworth desconheciam esta disputa legal relacionada a ´Jane Eyre´ no momento em que a obra foi publicada", explicou Westwood-Brookes. Em uma das cartas, Edward Carus-Wilson escreveu: "Ele (meu avô) escreveu a Charlotte Brontë para expressar ser descontentamento e o resultado dessa carta foi uma missiva que ela escreveu e que tenho em meu poder retratando-se sobre o que havia escrito sobre a escola em Jane Eyre". No entanto, essas cartas de desculpas escritas por Brontë jamais foram encontradas. "É um mistério inacreditável. Em algum lugar, talvez em um ático perdido, poderia estar a carta na qual Charlotte Brontë se retrata de uma parte essencial de Jane Eyre", acrescentou Westwood-Brookes. Charlotte Brontë nasceu em 1816 em Yorkshire e, junto com suas irmãs Emily e Anne, formou um dos trios mais importantes da literatura inglesa vitoriana. As irmãs Brontë se dedicaram a escrever, cada uma, um romance de claro cunho vitoriano. Emily publicou O Morro dos Ventos Uivantes, Charlotte, Jane Eyre, e Anne escreveu Agnes Grey, em 1847. Em 19 de dezembro de 1848, Emily Brontë morreu de tuberculose e sua irmã Anne, que em 1848 publicou seu segundo romance, The Tenant of Wildfell Hall, morreu no ano seguinte. Depois da morte de suas irmãs, Charlotte viveu sozinha com seu pai e se dedicou à literatura. Outro de seus romances foi Shirley.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.