Chriz Pizzello/AP
Chriz Pizzello/AP

Charlie Sheen faz acordo em processo sobre demissão de 'Two and A Half Men'

Ator havia entrado com um processo de 100 milhões de dólares contra o estúdio e o criador da série

REUTERS

26 de setembro de 2011 | 20h29

LOS ANGELES - Charlie Sheen fez um acordo com os produtores e criadores de Two and A Half Men, o mais famoso seriado da TV norte-americana do qual foi demitido no início deste ano, informou a Warner Bros nesta segunda-feira.

Sheen havia entrado com um processo de 100 milhões de dólares contra o estúdio e o criador da série, Chuck Lorre, depois de ter sido desligado do programa em março.

A 'Warner Bros' não citou uma cifra. O caso foi resolvido por meio de arbitragem.

"A Warner Bros Television, Chuck Lorre e Charlie Sheen resolveram sua disputa para a satisfação mútua das partes. A ação judicial pendente e a arbitragem serão descartados...As partes concordaram em manter confidencialidade sobre os termos do acordo", informou a Warner em comunicado.   Sheen, o ator mais bem pago da TV norte-americana, foi demitido de Two and A Half Men depois de insultar publicamente Lorre em uma série de entrevistas bizarras.

Seus comentários seguiram uma série de idas à reabilitação que forçou a interrupção da produção da comédia de TV no início de 2011.

O anúncio do acordo nesta segunda-feira aconteceu meses depois de amargas discussões, temperadas por aparições de Sheen em programas de entrevistas na TV e no The Emmys nas últimas duas semanas.

Sheen foi substituído no seriado por Ashton Kutcher. A nova temporada estreou na semana passada com um recorde de 28,7 milhões de espectadores nos EUA -- uma audiência maior do que qualquer episódio das oito primeiras temporadas com Sheen no papel principal como um solteirão mulherengo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.