Mario Anzuoni/ Reuters
Mario Anzuoni/ Reuters

Charlie Sheen e Warner se aproximam de acordo após demissão do ator

Ex protagonista de Two and a Half Men pleiteava US$ 100 milhões de indenização da produtora

REUTERS

20 de setembro de 2011 | 09h36

O ator Charlie Sheen e a produtora Warner Bros. estão próximos de selar um acordo para encerrar o processo em que ele pleiteava 100 milhões de dólares de indenização por ter sido demitido da série "Two and a Half Men", disse na segunda-feira uma fonte familiarizada com o caso.

Sheen, que tem se mostrado contrito em recentes aparições nos últimos dias para falar dos atritos com os ex-patrões, abriu uma ação contra a Warner na Corte Superior de Los Angeles.

Um porta-voz da Warner disse que o acordo ainda não foi fechado, e não quis comentar sobre detalhes. O advogado de Sheen não foi localizado.

Interpretando o mulherengo personagem Charlie Harper, Sheen chegou a ser o ator mais bem pago da televisão norte-americana. Ele foi demitido neste ano após várias passagens por clínicas de reabilitação e depois de insultar publicamente a Warner e o criador da série, Chuck Lorre.

Nos meses seguintes, Sheen divulgou na internet uma série de vídeos em que dizia estar sempre ganhando enquanto os outros perdiam, e se gabava de ter "sangue de tigre" e "DNA de Adonis". Também fez uma turnê com um espetáculo intitulado "Meu Torpedo da Verdade: Derrota Não É uma Opção" - que teve bilheterias inexpressivas.

Mas nos últimos dias ele parece estar disposto a resgatar sua imagem, culminando com uma aparição no domingo na cerimônia de entrega do prêmio televisivo Emmy.

"Do fundo do meu coração, eu lhes desejo apenas tudo de bom para a próxima temporada", disse ele, dirigindo-se à equipe e ao elenco de "Two and a Half Men". "Passamos oito anos maravilhosos juntos, e sei que vocês vão continuar fazendo uma ótima (atração de) televisão."

Em entrevistas na semana passada, ele disse que se arrependia do que chamou de "piadas e metáforas em que não acreditava" - referindo-se às falas sobre o "sangue de tigre" e o "DNA de Adonis" -, e admitiu que, com o seu comportamento, também teria se demitido.

A notícia sobre o acordo judicial surgiu horas antes da estreia, na segunda-feira, da nova temporada de "Two and a Half Men", com Ashton Kutcher no lugar de Sheen. No mesmo dia, o ator foi entrevistado no canal Comedy Central.

Tudo o que sabemos sobre:
GENTESHEENWARNER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.