Chanel é acusada de antissemitismo

Um livro sobre a vida de Coco Chanel publicado anteontem nos EUA argumenta que a estilista francesa colaborou com os nazistas durante a 2.ª Guerra como espiã de codinome Westminster. Sleeping With The Enemy: Coco Chanel"s Secret War (Dormindo com o Inimigo: A Guerra Secreta de Coco Chanel), de Han Vaughan, alega não apenas que a estilista e o oficial alemão Hans Gunther von Dincklage eram espiões que viajavam para missões em Madri e Berlim. A obra também defende que Chanel era profundamente antissemita. Uma representante da grife Chanel se pronunciou, refutando as afirmações contidas no livro.

Reuters, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.