César Maia inicia em setembro obras do Guggenheim

O prefeito César Maia espera licitar, já em setembro, a primeira etapa das obras do Museu Guggenheim, que pretende construir no Pier Mauá, no centro do Rio, até 2006. Foi o que ele anunciou hoje, ao sair de uma visita ao Museu Nacional de Belas Artes, aonde não ia desde 1996, quando lá esteve a exposição do escultor francês Auguste Rodin. "Até 31 de julho, o arquiteto Jean Nouvel nos envia o projeto de secamento do terreno, pois o prédio terá parte subterrânea", adiantou Maia. "Um mês depois sai o edital de licitação." Há um mês, em 20 de maio, a Justiça concedeu liminar a uma ação popular do vereador Elionar Coelho contra a instalação do Museu e impediu o pagamento da primeira prestação do contrato com a Fundação Solomon Guggenheim, de Nova York, no valor de US$ 836 mil (R$ 2,4 milhões) no dia 30 de maio. "A liminar é contra o pagamento dos direitos do uso no nome e da supervisão da Fundação e não contra a construção do museu ou a contratação de Jean Nouvel para projetá-lo e acompanhar a obra", ressaltou o prefeito.Segundo ele, o atraso no pagamento não implica em multa nem na paralisação do projeto. "Se a Justiça determinar mudanças no contrato, elas serão feitas. Não temos pressa numa decisão dos desembargadores. Esta semana estive com o presidente do Tribunal de Justiça, Miguel Pachá, e disse-lhe que espero que eles tenham todo o tempo necessário para estudar o projeto e depois decidir", disse o prefeito. Mas ele reconhece que os representantes norte-americanos da Fundação Guggenheim não estão tão confiantes. "Eles estão nervosos porque não sabem que aqui é o País das liminares."Belas Artes - A visita de Maia ao MNBA vem consolidar uma parceria entre a instituição, que está subordinada ao Ministério da Cultura, e a Secretaria de Educação do Município. A previsão é de que, em 2003, 100 mil alunos da rede pública visitem o museu. O novo diretor, Paulo Herkenhoff, lembrou que há obras urgentes a serem feitas e a prefeitura pode colaborar, como aconteceu com outros museus da cidade. "Algumas medidas, como a retirada de lixo inflamável pela Comlurb já estão sendo providenciadas, mas há outras, como a prevenção de incêndio que ainda precisam ser conversadas", disse o diretor. "Apresentei a situação e não peço nada, espero acontecer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.