Centro Cultural São Paulo festeja 22 anos

O projeto arquitetônico do Centro Cultural São Paulo criado em 1982 previa uma rampa com acesso direto ao metrô. Agora, quando o local completa seus 22 anos, a idéia dos arquitetos responsáveis por sua concepção, Luiz Benedito Telles e Eurico Prado Lopes, é finalmente implantada e ainda complementada. O acesso, inaugurado hoje, leva à Estação Vergueiro do metrô. Em torno dele, um jardim de 2 mil metros quadrados com esculturas permanentes de Elisa Bracher e Artur Lescher. Ao mesmo tempo, ainda como parte das comemorações de aniversário, o Centro Cultural São Paulo apresenta as exposições Tudo É Desenho e Vestígios de Um Certo Teatro.A primeira apresenta telões cenográficos e pinturas que ficavam nas laterais e nos fundos de palcos teatrais, obras realizadas por pintores acadêmicos, como Angelo Lazary, Jaime Silva, J. Prado, Henrique Manzo e Rômulo Lombardi. A pintura como prática cenográfica foi explorada no Brasil até a década de 40. Já a exposição Tudo É Desenho traz obras do acervo da Pinacoteca Municipal como maneira de divulgá-lo. Remetendo à idade do Centro Cultural São Paulo, foram selecionados 22 desenhos e gravuras da coleção que abrangem um período dos anos 30 até os dias de hoje. Entre figuração e quase abstrações, o visitante verá os traços sobre papel de artistas como Clóvis Graciano, Aldo Bonadei, Renée Lefévre, Rosana Paulino e Paulo Monteiro e, curiosamente, até do crítico de arte Sérgio Milliet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.