Cenas impróprias em novela levam TV Globo à Justiça

O Ministério Público Federal (MPF) iniciou uma ação civil pública contra a TV Globo por considerar que a emissora exibiu, na novela Cobras e Lagartos, cenas inapropriadas para o horário das 19 horas. O ponto de partida da ação foi o envio ao Ministério Público de um ofício da Coordenação de Classificação Indicativa do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação (Dejus), órgão do Ministério da Justiça. De acordo com o MPF, foram noticiadas cenas com linguagem depreciativa de conteúdo discriminatório, nudez e insinuação de sexo, excessivo consumo de drogas lícitas, atos criminosos com lesões corporais ou contra a vida e conteúdo violento com presença de armas brancas ou de fogo. O MPF quer que a Justiça condene a TV Globo a pagar indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 6,8 milhões, equivalente a 0,5% do faturamento bruto da emissora em 2005. O dinheiro iria para o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, destinado a reparar danos ao meio ambiente, ao consumidor e ao patrimônio cultural. A ação informa que, apesar de ter sido comunicada da existência de conteúdo impróprio por meio de duas recomendações do MPF, e de ter se comprometido a não exibir este tipo de cenas, a TV Globo não cumpriu o acordo. Hoje vai ao ar o último capítulo da novela. Até as 18 horas a emissora não havia retornado o telefonema da reportagem para comentar o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.