Cenário perde desnível entre sabatinado e perguntadores

Roda mundo, roda menos gigante. Marília Gabriela estará enquadrada, a partir de amanhã, num plano que pouco, para não dizer em nada, remete ao cenário que fez 24 anos de história na TV Cultura. O Roda Viva perde os círculos dispostos em degraus e o desnível que colocava entrevistado em plano inferior ao de seus entrevistadores. Manter o sabatinado esteticamente acuado já não é a proposta.

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2010 | 00h00

Escalado para gravar a primeira edição repaginada, amanhã, às 14 horas, o empresário Eike Batista ficará no centro de um semicírculo, tendo à sua frente, além de Gabi, quatro jornalistas: dois convidados e também Paulo Moreira Leite e Augusto Nunes, que já foi mediador do programa entre 1987 e 89.

Nunes e Moreira Leite estarão permanentemente na bancada, fato inédito no histórico do Roda Viva. O programa estreou em 1986 com espaço para vários jornalistas distribuídos em três andares de círculos, e foi reduzindo as vagas de perguntadores até chegar a quatro, de dois anos para cá. Com a chegada de Nunes e Moreira Leite em caráter fixo, apenas dois profissionais serão convidados a cada semana.

A redução no revezamento de entrevistadores pode tornar o programa mais previsível? É esperado que sim, mas Gabi justifica a escolha como algo capaz de tornar o Roda "mais inteiro". "Será um convidado, próximo dos entrevistadores, com menor número de perguntadores, um pré-acordo entre nós de que eu entro no primeiro bloco, propondo tal assunto, faço uma pergunta e aí passo a bola a eles", explica.

Para as edições a seguir, sob novo arranjo para a música de Chico Buarque que batiza o programa, estão acertadas entrevistas com o ex-técnico da seleção brasileira, Dunga, outra com o atual dono do posto, Mano Menezes, além da crítica de teatro Bárbara Heliodora e do empresário de TV José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni.

Com 1.218 entrevistas realizadas até aqui - parte delas com íntegra disponível no site www.tvcultura.com.br/rodaviva -, o programa teve até hoje dez apresentadores, a começar por Rodolpho Gamberini, passando por Augusto Nunes, Jorge Escosteguy, Rodolfo Konder, Roseli Tardelli, Heródoto Barbeiro (em duas temporadas), Matinas Suzuki, Paulo Markun, Carlos Eduardo Lins da Silva e Lillian Witte Fibe.

Heródoto Barbeiro deixa o posto em meio a rumores de que uma pergunta sua, sobre o custo dos pedágios no Estado de São Paulo, teria incomodado o candidato à Presidência José Serra (responsável pela indicação do atual presidente da Fundação Padre Anchieta, João Sayad), então entrevistado pelo programa.

Perguntada sobre eventuais pressões políticas em seu primeiro expediente para uma TV pública, Gabi é incisiva: "Garantiram que não (haverá interferência)". Embora a Cultura tenha lhe proposto contrato de dois anos, ela pediu assinatura por prazo menor: um ano. "Sou confiável. Se eu gostar, vou ficando", afirma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.