Reprodução
Reprodução

Cem anos de paixão

Centenário de Tennessee Williams começa com publicação de 32 peças e lançamento do DVD Baby Doll

Antonio Gonçalves Filho, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2011 | 00h00

É uma extravagância que combina com a personalidade do dramaturgo norte-americano Tennessee Williams (1911-1983) e deverá marcar definitivamente o seu centenário, comemorado em março - além de firmar o nome da Editora É como casa dos grandes autores teatrais, quando for lançado o primeiro dos quatro volumes com 32 peças suas, dois com 26 textos curtos e dois com os seis longos, os principais escritos por ele. O lançamento do primeiro volume está previsto para o início do segundo semestre. Antes, a Editora É, que vai publicar peças de outros dramaturgos norte-americanos (Eugene O"Neill, Arthur Miller, Edward Albee) deve publicar o romeno Matei Visniec (autor de História do Comunismo Contada a Doentes Mentais), de quem comprou 15 peças, e livros teóricos sobre o teatro do polonês Jerzy Grotowski (1933-1999).

Simultaneamente, também para comemorar o centenário de Tennessee Williams, o selo Cult Classic lança esta semana a versão restaurada do filme Boneca de Carne (Baby Doll), dirigido por Elia Kazan com roteiro do próprio autor. Obra que lançou Carroll Baker ao estrelato e provocou escândalo em 1956 por tornar a camisola curta um objeto do desejo da mulher americana - ameaçada, junto aos espectadores do filme, com o fogo dos infernos pelos bispos -, Baby Doll une duas peças curtas de Williams encomendadas por Kazan, The Unsatisfactory Supper e 27 Wagons Full of Cotton, a última incluída no primeiro volume de peças de um ato que chega ao mercado este ano.        

 

 

 

Veja também:

linkTennessee, ainda um demolidor    

 

 

 

Também nesse primeiro volume dedicado às peças curtas destaca-se This Property Is Condemned (Esta Mulher é Proibida), filmada por Sidney Pollack em 1966 com roteiro de Francis Coppola, que teve de inventar tudo sobre a personagem Alva, apenas mencionada na peça, que se passa inteiramente numa linha de trem, onde sua irmã mais nova conta a um garoto a história de sua destruída família. Mesmo curta, a história, ambientada no Mississippi, na região fronteiriça onde nasceu Williams, é uma síntese dos temas explorados nas principais peças do dramaturgo, da incontrolável sensualidade de suas mulheres à figura castradora de suas mães. Para quem não viu o filme, ele foi igualmente lançado em DVD, como as seis peças longas incluídas na coleção que vai ser lançada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.