Celebridades reunem 3 milhões de assinaturas pelo fim da fome

As assinaturas de três milhões de pessoas, entre elas figuras conhecidas do mundo do esporte, do cinema e do entretenimento, foram entregues nesta terça-feira em Roma a representantes dos Governos de todo o mundo para pedir uma ação urgente para acabar com a fome.

EFE

30 de novembro de 2010 | 17h41

Em cerimônia realizada na sede da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) em Roma, os Governos receberam um pedido para que "a eliminação da fome se transforme em sua principal prioridade".

A iniciativa faz parte da campanha da FAO "1 bilhão de famintos", que tenta alertar Governos e opinião pública sobre o drama da fome no mundo através de imagens impactantes e iniciativas como esta.

As últimas estimativas da organização sobre o número de pessoas que sofrem de fome crônica no mundo estão em 925 milhões. No entanto, a crise econômica mundial registrada no ano passado e a alta dos preços dos alimentos fizeram com que esse número superasse a barreira de um bilhão pela primeira vez na história.

"Pessoas do mundo todo pedem mudanças, apelando aos líderes políticos para atuar de forma a resolver as causas profundas da fome e da insegurança alimentar", afirmou o diretor-geral da FAO, Jacques Diouf, durante a cerimônia, acrescentando que espera "que todas estas vozes sejam ouvidas".

A maioria das assinaturas foram obtidas pela internet, através da divulgação da campanha em redes sociais.

Segundo a FAO, entre os signatários estão os embaixadores de boa vontade do organismo, como os atores Susan Sarandon, Gongo Li e Raul Bova; os atletas Carl Lewis e Roberto Baggio; os cantores Celine Dion, Gilberto Gil, Dionne Warwick e Anggun e os escritores Isabel Allende e Andrea Camilleri, assim como intelectuais e estrelas do futebol europeu.

O projeto já recebeu o compromisso de líderes políticos como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva; a presidente da Argentina, Cristina Fernández; de Honduras, Porfirio Lobo; de Ruanda, Paul Kagame; da Guatemala, Álvaro Colom Caballeros; da República Dominicana, Leonel Fernández, entre outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.