Cela é enterrado em Iria Flavia

O escritor Camilo José Cela, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1989, foi sepultado hoje sob a sombra de uma velha oliveira, em uma sepultura que ele mesmo escolheu há seis anos, em sua cidade natal, para ?repousar eternamente?, ao lado de sua mãe.Uma fina chuva e um dia cinzento marcaram a despedida do poeta e escritor. Uma música tocada por gaitas, interpretando o hino do Antigo Reino da Galícia, misturou-se a uma salva de palmas daqueles que foram render uma última homenagem ao filho ilustre da cidade.Cela foi sepultado com honras de cidadão ilustre no pequeno e modesto cemitério galego de Iria Flavia, no dia que se seguiu à sua morte em Madrid, por insuficiência cárdio-respiratória, aos 85 anos de idade.Os vizinhos mais antigos da aldeia asseguram que a oliveira foi plantada pelo próprio Cela quando criança, ?para criar a sombra que necessitava para seu descanso eterno". Ele era o filho predileto, prefeito honorário e perpétuo de sua vila natal. A ela dedicou grande parte de suas primeiras memórias e, pouco antes de morrer, declarou seu amor à esposa, a jornalista Marina Castaño, 41 anos mais jovem do que ele, e à sua cidade natal, Iria Flavia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.