Cecilia Roth saca a pistola na minissérie "Epitáfios"

Apaixonada por romances policiais, a atriz argentina Cecilia Roth estrela a minissérie Epitáfios, dirigida por Alberto Lecchi e Jorge Nisco, e que estréia neste fim de semana na TV paga. É a primeira produção da HBO Latin America. Você já acompanha as minisséries e os especiais produzidos pela HBO dos EUA. O mais recente foi Angels in America, que Mike Nichols adaptou da peça de Tony Kushner. Epitáfios representa o primeiro investimento da HBO na produção de minisséries dirigidas e interpretadas por latinos e é o resultado de quase um ano de trabalho, entre preparação, filmagem (em 16 mm) e pós-produção. A minissérie estréia em toda a América Latina neste sábado. No Brasil, mantendo a tradição da HBO, estréia no domingo. Passa às 22 horas no canal HBO, com direito a reprise à 1 hora (madrugada) no HB2. Cecilia fez um giro por São Paulo acompanhada pelo presidente da HBO Latin America, Luis Pereza, que anunciou as duas minisséries que a HBO vai produzir no Brasil. Mandrake, baseado em Rubem Fonseca, será uma parceria com a Conspiração; Carnaval vai unir a HBO à O2, com direção de Cao Hamburger. Epitáfios fará lembrar a muitos espectadores o thriller sombrio Seven, os Sete Pecados Capitais, de David Fincher. Há um assassino que escolhe suas vítimas pelos defeitos, executando-as com requintes de crueldade. "Mas há também elementos de O Silêncio dos Inocentes", disse Cecilia ao Estado. Ela ainda não viu a íntegra da minissérie. Assistiu a alguns capítulos que a impressionaram. "Possui uma atmosfera muito forte. Acho que Lecchi e Nisco (os diretores) fizeram um grande trabalho." São 13 capítulos de uma hora cada um. Cecília entra em cena nos capítulos finais. Sua personagem se chama Marina Segal. "É uma mulher com um passado tremendo, que brinca com a morte." As chamadas publicitárias dizem que Epitáfios conta a história de um ex-policial que busca uma razão para viver e a de um assassino que já encontrou a motivação para matar. "Epitáfios mostra como nós, latinos, também podemos desenvolver bem os códigos do thriller", observa Cecilia.Grande atriz de teatro, cinema e TV, Cecilia considera a experiência muito importante. "Parcerias com a HBO poderão ser valiosas. Eles dão dinheiro e garantem liberdade de criação", explica. Seu próximo projeto é com o cineasta Pedro Almodóvar, que a dirigiu diversas vezes, incluindo em Tudo sobre Minha Mãe. "Pedro está escrevendo um papel para mim. Tenho outras propostas, mas não decidi nada. Vou fazer agora o papel que mais gosto, de mãe", diz.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2004 | 12h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.