CCBB-RJ abre mostra com filmes e fotos de James Dean

"Sonhe como se fosse viver para sempre, viva como se fosse morrer hoje." A frase mais famosa de James Dean (1931-1955) soa talhada para quem iria viver 24 anos a mil. O ator morreu num acidente de carro no despontar para o sucesso e, passados 57 anos, sua bela figura ainda está por aí, nas cenas dos seus poucos filmes, em editoriais de moda, em programas de TV.

AE, Agência Estado

04 de setembro de 2012 | 10h21

De terça até o dia 23, o Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio, exibe "Eternamente Jovem - Retrospectiva James Dean", com imagens nunca vistas pelo público brasileiro. Estão programados - além dos filmes com ele que se tornaram clássicos, "Vidas Amargas" (1955), "Juventude Transviada" (1955) e "Assim Caminha a Humanidade" (1956) - 13 trabalhos que ele fez para a TV entre 1951 e 1955 e 12 documentários que esmiúçam aspectos de sua vida e trazem curiosidades do tipo que os fãs adoram. São dos anos 50, 70, 80, 90 e 00, prova de que o interesse por sua personalidade nunca arrefeceu.

"James Dean At High Speed" (1997) enfoca a atração por carros velozes e motocicletas, que vinha da infância e que o levaria à morte. Tem cenas dele em corridas, depoimentos de quem o viu em alta velocidade em competições, imagens da loja em que um Jimmy de 15 anos comprou sua primeira moto.

"Great Romances of the 20th Century: James Dean and Pier Angeli" (1997) trata do romance com a linda atriz italiana cujos olhos verdes enfeitiçaram Dean em 1953. O namoro, iniciado durante as filmagens de "O Cálice Sagrado" e que durou apenas três meses, terminou porque a mãe dela desaprovava o comportamento do bad boy. E "James Dean: Born Cool" (2001) fala da transformação do menino de cidade pequena, Marion (Indiana), em astro de Hollywood, ícone de uma geração, do jovem incompreendido. Sua trajetória é contada por amigos e parentes, que mostram fotos raras e gravações caseiras.

"São filmes que pouca gente viu, depoimentos de quem o conheceu de verdade", diz o jornalista Mario Abbade, curador da mostra, que há 20 anos faz pesquisas para escrever uma biografia sobre o ator. "Existem livros e mais livros de pessoas falando coisas que não são verdades. Já fizeram uma pesquisa que mostra que se tudo que dizem fosse verdade, ele teria que ter vivido mais uns 20 anos."

Além de conseguir as autorizações para exibir o material por aqui, Abbade, que durante sua pesquisa seguiu os passos de Dean pelos Estados Unidos (em Estados como Indiana, Califórnia, Nova York), chegou à cópia de sua certidão de óbito, que estará exposta no CCBB com 30 fotos e objetos com a marca Dean: relógios, perfumes, canetas, isqueiros, selos, até miniaturas do Porsche Spyder, no qual ele sofreu o acidente fatal em 30 de setembro de 1955, em Salinas, na Califórnia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

ETERNAMENTE JOVEM - RETROSPECTIVA JAMES DEAN

CCBB (Rua Primeiro de Março, 66, Rio). Tel. (21) 3808-2020. De 4 a 23/9. R$ 6.

Tudo o que sabemos sobre:
exposiçãoJames Dean

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.